BREAKING NEWS

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Fim de Ano, Emoções e EQM

Sim. Eu sei fazer isso...
Todo final de ano é a mesma coisa. Um bando de gente se emocionando com qualquer arco-íris ou pedinte no semáforo. Começamos a pensar em como fodemos nossa vida e no que devemos fazer para transformá-la. É sempre a mesma coisa!
Gente que não abre sequer um sorriso quando te dá bom dia, nessa época vem querendo te abraçar e desejar que tudo de mais maravilhoso e impossível (no curto prazo) aconteça em sua vida. Ah vá!

Gosto um pouco dessa época do ano apenas por que os mais necessitados recebem alguma ajuda, fora isso, tudo é ruim! Para os negócios, o final de ano é péssimo, pois todos pensam daquele jeito: O que eu tinha pra fazer esse ano, eu já fiz. Agora é só esforçar mais no próximo!

Daí perdem a produtividade de 2 ou 3 semanas de sua vida!!! E acabam ferrando as minhas semanas!
(Workaholic mode off)
Tá bom! Pelo menos assim algumas pessoas podem desfruta de 2 semanas com familiares e amigos. Tudo bem, eu entendo. Mas não deixa de ser ruim pra mim.

Ainda neste espírito natalino, pois creio ter sido esse o motivo de meu próximo pensamento, estive pensando ontem a noite nas minhas “EQM’s”. Sim, já tive algumas.
Tudo bem que não foram aquelas experiências do tipo “Morri! Oh, ressucitei!”, mas marcaram minha vida como se fosse.
Fiquei pensando em porque não morri naquelas situações. Daí me veio um sentimento de “Neo”, como se eu fosse ‘O Escolhido’ pra fazer alguma coisa. Mas o quê?
Então pensei: Ah, tá bom! É só o meu ego querendo me transformar num super-herói.
Mas mesmo assim fiquei encucado!

Lá atrás, em Ouro Preto, com 14 anos, quando fiquei pendurado por uma raiz de uma plantinha qualquer num precipício altíssimo, pensei que fosse morrer mesmo naquele dia. Minha família custaria a me encontrar, pois ninguém sabia que eu estava naquele local...
E quando naquele assalto o FDP do bandido deu 6 tiros mirando em mim e a um distância de pouco mais que 1 metro... Quando percebi que os tiros não me acertaram, pensei que se tratava de revólver de espoleta e corri atrás dos caras pra “sentar a porrada”, quando de repente um tiro pega no parabrisa do carro...

As EQM’s com motos deixarei pra contar depois, já que minha esposa lê o blog.

Mas enfim, por quê não morri? Ou será que em outra dimensão eu morri? Será que foi pura sorte mesmo?

Seja o que for, é bom que todos tenham razões fortes o bastante para permanecerem vivos.
Um feliz Natal a todos!

Postar um comentário

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!