BREAKING NEWS

terça-feira, 18 de março de 2008

Para eu não ter que decorar todo o material descrito no último texto, sintetizei ao máximo aquelas regras chegando nisso aqui:
1- Fazer o bem.
2- Fazer o outro se sentir importante.
3- Ter uma postura impactante, correta e firme.
Fica bem mais fácil assim né!?
Habituem-se a usar esses fundamentos básicos.
Toda pessoa pra ser bem sucedida, tem que saber se comunicar e influenciar outras pessoas através dessa comunicação.
Após ler um pouco de Anthony Robbins e Dale Carnegie, aprendi um pouco sobre como influenciar a mim mesmo e depois, sobre como influenciar outras pessoas.
De acordo com a obra de Dale Carnegie, fiz um resumão de regras que poderão lhe ajudar na parte de influenciar pessoas, mas lembre-se de que primeiro deve saber influenciar a si mesmo.
Segue meu resumão...
  1. Acalme-se e abstenha-se a identificar o erro, mostrá-lo ao errante, analisar em conjunto o aprendizado e o investimento despendido e certificar-se de que não acontecerá novamente. Ex.: Apontar erro de um subordinado.
  2. Descubra as qualidades boas das outras pessoas. Esqueça a bajulação! Seja sincero na sua aprovação e pródigo no elogio. Ex.: Elogios a qualquer pessoa.
  3. Descubra os interesses das pessoas, fale sobre o que ela quer e mostre-lhe como realizar seu intento. Ex.: Em uma conversa, em vez de ficar falando sobre seus super-problemas ou seus super-desempenhos, passe a escutar o que a pessoa quer falar e a ajude a falar sobre isso.
  4. As pessoas não estão interessadas em você. Estão interessadas nelas mesmas, o tempo todo. Coloquemo-nos à disposição de outras pessoas para fazer por elas certas coisas. Saudemos a todos com animação e entusiasmo. Mostre um verdadeiro interesse pelos outros. Ex.: Nem precisa né!?!
  5. Ações falam mais alto que palavras e um sorriso dizem: Estou satisfeito por vê-lo! O sorriso vale muito mesmo quando não pode ser visto, como ao telefone. Cumprimente com um sorriso e ponha a alma em cada aperto de mão.
  6. Memorize os nomes de todos que conhece.
  7. Mostre-se realmente interessado nos assuntos de interesse das outras pessoas e ouça-os atentamente.
  8. Descubra o que interessa a outra pessoa e saiba o que falar sobre isso.
  9. O mais profundo princípio na natureza humana é o desejo de ser apreciado. Elogie as pessoas pelo que elas têm de melhor e faça-as se sentirem importantes.
  10. Acolha a divergência, desconfie de sua primeira impressão instintiva, controle seus impulsos, ouça em primeiro lugar, procure áreas de concordância, seja honesto, prometa que pensará sobre as idéias divergentes e estude-as, agradeça o interesse do adversário, adie a ação para dar tempo para ambos pensarem sobre o problema. Ex.: Uma discussão!
  11. Não mostre aos outros que estão errados, sendo ríspido. Não se mostre certo de sua afirmação contrária. Evite toda contradição direta aos sentimentos alheios bem como toda afirmativa decisiva de sua parte. Ex.: Opinião diferente em uma conversa.
  12. Assuma que está errado o quanto antes, não espere a crítica de outra pessoa, faça sua autocrítica para evitar a condenação alheia. Ex.: Quando estiver errado.
  13. A gentileza e a amizade são sempre mais fortes que a fúria e a força.
  14. Não vá direto ao ponto, correndo o risco de receber um NÃO. Elabore perguntas para que a pessoa responda várias vezes SIM, ficando assim mais receptiva e se encontrando diante de uma conclusão evidente. Ex.: Venda.
  15. Deixe a outra pessoa falar dela mesma. Assim, faça-lhe perguntas. Encoraje-a a expressar suas idéias.
  16. Faça sugestões e deixe a outra pessoas tirar a conclusão por si mesma. Não demonstre estar vendendo pra ela, deixe que ela se sinta comprando o que deseja.
  17. Experimente, sinceramente, se colocar no lugar da outra pessoa. Dê o objetivo e a direção da conversa, controlando o que diz através daquilo que gostaria de ouvir se fosse o ouvinte.
  18. Use a mágica: Eu não o condeno de jeito nenhum por pensar assim. Se eu estivesse no seu lugar, sem dúvida alguma pensaria exatamente como você. Ex.: Novamente em discussões.
  19. Coloque motivos nobres em pauta. Responsabilidade social, mães filhos, honestidade, inteligência e etc. Quando nenhuma informação pode ser encontrada sobre o cliente, apele para os motivos nobres.
  20. Não se expresse apenas por palavras, demonstre, dramatize o que está dizendo. Ex.: Exemplifique de várias formas.
  21. Todos desejam o desafio para terem a oportunidade de provarem seus valores, de sobrepujarem, de vencerem. Ex.: Lance desafios para influenciar.
  22. Sempre que tiver de apontar um erro, primeiro elogie suas virtudes e depois, com diplomacia, aponte o erro.
  23. Elogie e depois use o "e" em vez do "mas", para criticar.
  24. Antes de criticar lembre ao criticado que você também erra.
  25. As perguntas tornam as ordens mais aceitáveis, e não é só isso, estimulam a criatividade da pessoa a quem são feitas. As pessoas inclinam-se a aceitar uma ordem quando tomam parte da decisão que levou a formulação dessa ordem.
  26. Evite envergonhar as outras pessoas.
  27. Quando se diminui a crítica e se enfatiza o elogio, as coisas boas que as pessoas fazem recebem reforço e as coisas más são atrofiadas por falta de atenção.
  28. Se você quer aumentar a capacidade de uma pessoa num determinado ponto, aja como se esse traço particular fosse já uma de suas características marcantes. Ex.: Elogiar um preguiçoso dizendo que sua disposição é fora do comum.
  29. Seja liberal no seu incentivo; faça com que o trabalho pareça ácil de ser executado; deixe a outra pessoa compreender que você tem confiança na sua habilidade para fazer uma determinada coisa, que ela tem uma capacidade latente para isso.
  30. Quando der sua ordem, formule-a de modo que a outra pessoa entenda como benéfica para ela.
Li uma matéria no Valor Econômico na semana passada, onde trazia uma tradução de uma matéria do The Wall Street Journal Americas. Essa matéria falava sobre a língua afiada de alguns grandes empresários, como Gates e Buffett, exaltando o poder de suas palavras na tentativa de atingir concorrentes ou até mesmo parceiros de mercado.
Aqui uma parte:
"...Em vez de encherem suas palestras com clichês insossos, que tal se eles trouxessem a público um pouco de sua combatitividade nos bastidores?..." - Referindo-se aos executivos que medem as palavras com medo de darem alguma declaração polêmica.
Eu também acho legal essa prática de língua solta, seja para arrasar um adversário, amedrontar um concorrente, blefar, etc. Só acho que como tudo, deve ser comedido.
Usem as palavras para influenciarem!

sexta-feira, 14 de março de 2008

E aí você tem?
Existem vários testes na internet, para você fazer e ver se tem o "Perfil Empreendedor"!
E lá vou eu com minha famosa "opinião"... Ah! Isso aqui não é um blog com conteúdo jornalístico mesmo!
Pois bem! Pra mim esses testes são como aqueles testes de revistas para adolescentes. Falei!
Tudo bem que tenha gente gastando rios de dinheiro em pesquisas para se traçar o perfil que levará você a ser um empreendedor de sucesso, mas eu acredito que seja um dinheiro gasto com nada!
Em uma conversa com alguns amigos, foi levantado esse assunto e após todos expressarem suas opiniões, eu dei a minha e me escondi das pedradas! hehehe Quase me bateram! Mas como eu disse, era apenas minha opinião.
Depois de muita discussão, todos chegaram ao consenso de que pelo menos duas coisas que estão na maioria das pesquisas são realmente imprescindíveis a um grande empreendedor, são elas:
- Coragem
- Determinação
... Mais uma vez eu coloquei minha opinião...
Coragem e determinação todas as pessoas têm, mas em níveis diferentes. Baseado nisso, sabemos que essas duas características oscilam de acordo com a pessoa e a ocasião.
Tipo:
Você pode não ter coragem e determinação para encarar um marginal armado te assaltando. Mas garanto que qualquer um desenvolveria coragem e determinação para encarar o mesmo marginal armado, se este estivesse estuprando a sua filha de 8 anos!
Portanto o que trás a coragem e a determinação são os motivos! Daí se o empreendedor não tiver motivos excepcionais para servir de "Por quê ele deve ter sucesso", suas chances diminuem consideravelmente.
Por isso Robert Kiyosaki disse que querer enriquecer apenas pra se ter dinheiro é um motivo muito fraco!
Querem saber qual o perfil do empreendedor de sucesso?
- Uma pessoa que tenha um bom motivo!

quinta-feira, 13 de março de 2008


O que é alavancagem? Como alavancar? Afinal o que é isso?
Em uma conversa com um amigo, esse me perguntou como fazer o pouco dinheiro que ele tem, quase nada, se transformar em muito dinheiro em pouco tempo.

Eu respondi apenas com uma palavra: ALAVANCAGEM!

Para isso, primeiro temos que entender o conceito da palavra.

Alavancar - Mover ou levantar (algo) com o auxílio de alavanca.

Alavanca - Barra de ferro ou de madeira, bem rígida, que se emprega para mover ou levantar objetos pesados (Uma das definições)

Desenhando...

Zezinho tinha R$1.000,00 para tentar realizar seu sonho de comprar uma moto e trabalhar com entregas rápidas. Porém ele via seu sonho muito distante já que uma moto dessas custa mais de R$ 4.000,00. Zezinho estava desiludido!

Um dia, desabafando com um amigo, Zezinho foi supreendido quando esse amigo, Joãozinho, se ofereceu para ajudar com uma parte e assim formarem uma sociedade.

Joãozinho tinha R$ 2.000,00 e a partir daí seria sócio de Zezinho.

Dessa forma, Zezinho já havia conseguido alavancar o seu capital em 300% e Joãozinho alavancou o seu em 50%. Mesmo assim ainda faltavam R$ 1.000,00, que pouco tempo depois coseguiram com uma instituição financeira. Com esse dinheiro da financeira, alavancaram ainda mais o seu capital.

Em miúdos, a alavancagem foi a forma que Zezinho encontrou de gerar dinheiro do nada, ou quase nada!

Em investimentos, a alavancagem é uma estratégia na qual o investidor aumenta as possibilidades de rendimento através de empréstimos ou operações do mercado de derivativos. No caso de operações de crédito, a alavancagem ocorre por meio de empréstimo de terceiros para aumentar as possibilidades de lucro. Consequentemente, esta operação também aumenta o grau de risco da operação.
Quanto maior é o grau de endividamento de uma empresa, maior é sua alavancagem.
A fórmula para o cálculo da alavancagem é: dívida/(dívida +valor da empresa).
A melhor definição está aqui:

"Alavancagem: Termo que designa o efeito de melhoria provocado pelo endividamento na rentabilidade do patrimônio líquido de uma empresa."

Enfim...
Não perca tempo pensando em como você é um pobre coitado e por isso não tem dinheiro para gerar mais dinheiro. A alavancagem te gera dinheiro!

Usem-na, mas com moderação, pois quanto mais usá-la, maior é o risco de suas finanças irem pro brejo!

quarta-feira, 12 de março de 2008

Sabia que existe um site na internet onde você pode assistir a diversas palestras na área de empreendedorismo gratuitamente. Alguma em tempo real!
Pois é, já assisti a maioria dos vídeos e digo que cada um acrescenta um pouco na vida do empreendedor. Alguns acrescentam um enormidade!
Enfim é um ótimo site e é parada obrigatória para qualquer empreendedor.
Clica aí:
"II- Conceito (Art. 1º da lei 4.886/65)
Exerce a representação comercial autônoma a pessoa jurídica ou a pessoa física, sem relação de emprego, que desempenha, em caráter não eventual por conta de uma ou mais pessoas, a mediação para a realização de negócios mercantis, agenciando propostas ou pedidos, para transmiti-los aos representados, praticando ou não atos relacionados com a execução dos negócios.
Fica caracterizado como distribuição quando o agente tiver à sua disposição a coisa a ser negociada. Nesse caso, se o agente fizer parte da cadeia de distribuição, ele passa a ser disribuidor e não representante.
O representante só faz a mediação, aproximando as partes para a realização do negócio. Ele age com independência, isto é, sem a qualidade de empregado da firma para quem negocia ou agência, sendo legítimo comerciante. Não são prestadores de serviços e sim comerciantes, porque exercem atividade auxiliar do comércio preparatório da compra e venda.
O representante adquire o direito à comissão, quando o comprador efetua o pagamento, devendo ser paga até o dia 15 do mês seguinte. Se o comprador pagar em prestações, a comissão tambem será parcelada. Não há comissão se o representado recusar o pedido no prazo devido, se o comprador desfizer o negócio ou se sustar a entrega das mercadorias e se a falta de pagamento resultar de insolvência do comprador.
Registros da Representação Comercial:
- Junta Comercial
- Conselho Regional dos Representantes Comerciais
- Receita Federal
- Prefeitura
- INSS
Registros do Representante Comercial:
- Conselho Regional dos Representantes Comerciais
- Prefeitura
- INSS Principais
Cláusulas do Contrato:
- Qualificação das partes
- Objeto; Indicação dos produtos
- Prazo
- Comissão
- Delimitação do território
- Zona de exclusividade, ou não
- Obrigações acessórias das partes
- Recisão contratual- indenização
- Foro de eleição
O representante é obrigado a fornecer ao representado, segundo disposições do contrato ou, sendo este omisso, quando lhe for solicitado, informações detalhadas sobre o andamento dos negócios a seu cargo, devendo dedicar-se à representação, de modo a expandir os negócios do representado e promover os seus produtos.
Rescisão do Contrato - Desmotivada:
1º Prazo Indeterminado: (Aviso Prévio) 1/12 do total da retribuição auferida durante o tempo em que exerceu a representação.
2º Prazo Determinado: Média mensal da retribuição auferida até a data da escisão multiplicada pela metade dos meses resultantes do prazo contratual. "
A expansão por intermédio de representantes comerciais, parece ser a mais fácil de se administrar pois ele cuida de todos os processos em sua área de atuação. Porém, a empresa deve ter um bom suporte logístico para que os produtos cheguem de acordo com o combinado entre representantes e compradores, nos locais certos e na hora certa.
O perigo nesse tipo de expansão, é a necessidade eventual do uso de logística reversa para devolução de mercadorias por trocas, avarias ou erro de algum componente na cadeia de suprimentos.
Portanto é extremamente importante selecionar bem os representantes para que esses assumam uma postura de acordo com a filosofia da empresa representada.
Em suma, minha opinião:
Expansão por Representantes Comerciais
- Desenvolvimento = 7 (Médio)
- Burocracia = 3
- Potencial = 10
- Aumento de custos = 7 (Custo variável e logística)
- Risco = 8 (A imagem de sua empresa, nas mãos de outra pessoa)
- Retorno curto prazo = 5
- Retorno longo prazo = 9
É impossível para uma micro-empresa, atender a clientes em todo o território nacional, sozinha.
E quando estes empresários vêem uma oportunidade na expansão de seus negócios, eles começam a pensar em como ser tantos, sendo só um!
Quando se pensa em expansão, deve-se parar de pensar em agir sozinho, pois não dá! Daí vem as opções para expansão dos negócios:
1 - Representantes
2 - Distribuidores
3 - Franquias
Os três modelos são opções com grande potencial, porém para decidir sobre qual a melhor para o tipo de negócio é bem difícil. Isso porquê dependendo de qual você decidir, eliminará a possibilidade de em um futuro próximo implementar as outras. Se não eliminar, no mínimo dificultará bastante.
Abordarei as 3 opções a seguir, apontando as vantagens e desvantagens e detalhando para que possam optar pela melhor, de acordo com seu negócio.
... "E, por mais que amasse meu pai, nós não conseguíamos nos comunicar quando o assunto era dinheiro, riqueza e abundância. Finalmente, resolvi deixá-lo viver sua vida e tentar me concentrar em viver a minha. Se ele quisesse falar de dinheiro, tudo bem, mas não procuraria ajudá-lo se ele não pedisse ajuda. ... ...Em lugar de tentar ajudá-lo financeiramente, preferi apenas amá-lo pelo que tinha de forte e não pensar no que considerava suas fraquezas. Afinal, amor e respeito são muito mais importantes do que dinheiro."

Obrigado meu Deus, obrigado Jesus, obrigado, obrigado, muito obrigado!
Graças ao meu Deus, que nunca me abandonou, passei o último ano aprendendo mais do que nos últimos 10 anos! Tudo o que eu começo a plantar agora, frutificará em breve não por minha culpa, mas por permissão de Deus, pois Ele fez tudo na hora certa. Tudo em minha vida acontece no momento certo e tudo dá certo! Se algo não dá certo pra mim, é porque meu Deus não permitiu, pois não é a hora certa!

terça-feira, 11 de março de 2008


"Só existem duas regras de investimento: a Regra n° l - 'Não perca dinheiro...' - e a Regra n° 2 -'Não esqueça a Regra n° l'." - Warren Buffett

quinta-feira, 6 de março de 2008

Muitos empreendedores perseguem, com afinco, o crescimento das vendas, porque acreditam que a iniciativa aumentará automaticamente os resultados da empresa. Entretanto, essa relação pode não se concretizar, ou, ainda, acontecer o inesperado: o aumento das vendas representar uma redução nos resultados.
Por isso usamos o GAO!

O que é Grau de Alavancagem Operacional? É a capacidade que a empresa possui, de acordo com a sua estrutura de custos fixos, para implementar um aumento nas vendas e gerar um incremento ainda maior nos resultados, ou, para diminuir as vendas e produzir uma redução maior nos resultados.


Quanto maiores os Custos Fixos em comparação à Margem de Contribuição, maior será o Grau de Alavancagem Operacional. E quanto maior o Grau de Alavancagem Operacional, mais sensível ficará o Resultado Operacional se houver qualquer variação na Venda Bruta.

Custos fixos e alavancagem operacional: quanto mais elevados os custos fixos em relação aos custos variáveis, maior o grau de alavancagem operacional.
Quanto maior for o GAO, maiores serão os riscos, pois o Resultado Operacional ficará muito sensível a qualquer variação na Receita Bruta, tanto para mais como para menos. Em épocas de dificuldades de vendas, a empresa sente fortemente os reflexos.

Calculando:
GAO = Variação Percentual no Lucro Operacional (Resultado) / Variação Percentual nas Vendas.
Obs.: Esse “/” significa divisão!
Em miúdos: Você calcula qual será o valor de suas vendas se essas forem aumentadas/diminuídas em 30%. Daí você calcula qual foi a variação percentual do resultado tanto para aumento de vendas, como para diminuição.

GA Negativo: Ocorre quando um aumento nas vendas (Receita) provoca uma queda no Resultado Operacional. Nesse caso a Margem de Contribuição é negativa ou o crescimento das vendas (Receita) é acompanhado pelo aumento das despesas fixas, descaracterizando-as como fixas.
GA Modesto: Acontece quando a empresa opera no prejuízo e quando os seus Custos Fixos estão acima do dobro da Margem de Contribuição. Nesse caso, um aumento percentual na Receita Bruta colabora para diminuir o prejuízo, mas em uma porcentagem menor.
GA Equilibrado: Ocorre quando a empresa opera no prejuízo e quando os seus Custos Fixos são exatamente o dobro da Margem de Contribuição. Nesses casos, um aumento percentual na Receita Bruta colabora para diminuir o prejuízo, na mesma proporção.
GAO: É o que ocorre na maioria dos casos, ou seja, um aumento ou uma diminuição percentual da Receita Bruta gera um aumento ou uma diminuição do Resultado Operacional num porcentual sempre maior.

Vale lembrar que quanto maior for o GAO, maior será a sensibilidade da empresa para gerar lucro. Por outro lado, o inverso também é verdadeiro, ou seja, o impacto no resultado de uma queda nas vendas atingirá a empresa na mesma proporção.

Meio complicado né!?! Mas se não entender, leia de novo! hehehe

Que nome esquisito! O que é Margem de Contribuição?

É o valor, ou percentual, que sobra das vendas, menos o custo variável e as despesas variáveis. A margem de contribuição representa o quanto a empresa tem para pagar as despesas fixas e gerar o lucro líquido.

A margem de contribuição = Receita – Custos variáveis

Custos variáveis são aqueles que variam proporcionalmente à produção e às vendas. Matéria-prima, comissões e etc. Ou seja, quanto maior as quantidades produzidas e vendidas, maior o valor do custo variável.

Simples assim!

quarta-feira, 5 de março de 2008

Recebi dois emails a um tempo atrás em que ambos mostravam com muito bom humor, exemplos de focos nos problemas e focos nas soluções. Não posso garantir a veracidade dos fatos descritos (hehehe), mas posso afirmar que a idéia central dos dois, oferece um bom aprendizado.
Ctrl+c, Ctrl+v...
"Durante uma visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao diretor:
- Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui?
Respondeu o diretor:
- Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o hospitalizamos ou não.
- Entendi - disse o visitante - uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo e a colher.
- Não - respondeu o diretor - uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo. O que o senhor prefere, quarto particular ou enfermaria?"
Outra...
"1. Foco no Problema:
Quando a Nasa iniciou o lançamento de astronautas, descobriu que as canetas não funcionariam com gravidade zero.
Para resolver este enorme problema, contrataram a Andersen Consulting, hoje Accenture. Conseguiram desenvolver uma caneta que escrevesse com gravidade zero, de ponta cabeça, debaixo d'água, em praticamente qualquer superfície. Incluindo cristal e em variações de temperatura desde abaixo de zero até +300ºC. Empregaram 12 milhões de dólares para sanar o problema.
2. Foco na Solução:
Os russos usaram um lápis...!!! "

Já escrevi aqui sobre "apertar o botão" na hora crítica onde está se decidindo se abre um negócio ou não. Pois é, estou prestes a abrir mais um negócio! Já fiz e refiz as contas, estudei o mercado, estou detalhando tudo em um Mini-Plano de Negócios e em breve iniciarei o manual de operações. O problema é que o negócio foi idealzado em meio a uma crise no setor em que minha empresa atua e para se aproveitar da crise, tive que tomar decisões "cavalares" e rápidas, não me deixando tempo para analisar o negócio mais a fundo, mas conto com um sócio que entende muito do assunto para me ajudar no que ficou faltando. Já estamos correndo atrás dos equipamentos que precisamos e ao que tudo indica, vamos mesmo "Apertar o Botão"!
Depois que iniciarmos tudo, eu relato aqui o que é e como foi desenvolvido tudo, mas posso adiantar que é no setor de transportes.
Com esse negócio, alavancarei meu patrimônio em 20%, apenas com o ato de "apertar o botão", sem contar com o que virá depois.
E tenho ainda mais um projeto que também foi idealizado após a identificação de uma necessidade de várias micro-empresas, na parte de T.I. . Essa idéia já está caminhando também e pode ser "a" idéia que me dará uma alavancagem absurda rumo a minha independência financeira. Conto também com um amigo para ser meu sócio nesse negócio. Esse realmente tem que ser mantido em absoluto segredo pois é uma idéia inovadora, sem muros de proteção atualmente.
Em breve contarei mais...
Muito simples isso, não é?
Tenho que dizer que realmente é simples, pra quem consegue se controlar durante os momentos de crise.

Sempre escutei esse jargão fazendo referência a casos e pessoas de sucesso, mas nem tinha noção de como usá-lo para me render dinheiro e/ou patrimônio. Foi assim até que há algum tempo atrás, um amigo me recomendou a leitura do livro Poder Sem Limites, do autor Anthony Robbins. O livro não é sobre como enxergar a oportunidade na crise e sim sobre como se dominar. Basta mudar o seu estado, que você enxergará a situação de maneira diferente. A emoção é gerada por meio do foco. Quando mudamos o foco, mudamos nossas emoções. A partir daí você deve se concentrar em identificar qual a necessidade que está gerando a crise e então encontrar uma solução para essa necessidade, ou ainda, aproveitar essa necessidade de alguma forma.
Espero ter sido claro! hehehe

Para toda a crise, há oportunidades incrivelmente potenciais e para aproveitá-las, temos que enxergar do outro lado do espelho.

terça-feira, 4 de março de 2008

Antes de se começar a investir diretamente na Bolsa de Valores, você pode usar um simulador onde com dinheiro fictício, você opera comprando ou vendendo papéis existentes na Bovespa.
Claro que não tem a adrenalina da realidade, mas é bom pra você ir pegando o jeito de como comprar e vender. Clique no link e faça seu cadastro:
Existe também o simulador da BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros), que é onde se opera os famosos derivativos referenciados em ativos. Ainda detalharei mais sobre a BM&F por aqui, mas posso adiantar que é mais uma forma de se fazer dinheiro e/ou aumentar o patrimônio. Você pode ter uma noção básica no próprio link do simulador. O fator agravante é que nesse mercado os valores negociados oscilam com maior facilidade, o que pode te gerar rápidos e grandes ganhos ou rápidas e grandes perdas. Não perca tempo, comece a simular, clique no link abaixo:
Nessa semana, uma pessoa muito próxima passou por uma grande dificuldade na qual tinha que tomar uma decisão correta, precisa e rápida. Embora essa decisão fosse pessoal, a pessoa insistia em ficar pensando comigo em longos telefonemas.
No início tentei ajudar explicitando as causas e consequências, mas a partir daí a decisão começou a ser transferida a mim. Passei a ter respnsabilidade pela decisão de outra pessoa!
Como minha filosofia consiste em ensinar as pessoas a pescar, em vez de dar-lhes os peixes, apelei e mesmo correndo o risco de ser acusado de me ausentar durante um período difícil, abandonei essa pessoa e deixei-a sozinha com sua decisão nas mãos.
Fiz isso porque vi que ela aprenderia muito ficando sozinha, sem conselhos e com uma difícil decisão a ser tomada. Como de fato, o meu abandono serviu para essa pessoa estufar o peito e se decidir, aceitando as consequências do que escolheu.
Garanto que ela aprendeu muito com isso!
O objetivo deste post é mostrar que decisões rápidas devem ser tomadas e pronto!
Não adianta ficar adiando, pois quanto mais adiar, pior será qualquer que seja a sua decisão. O tempo sem se decidir aumenta mais o seu prejuízo do que se você tomar a decisão errada.
Tenho que tomar decisões rápidas quase que todos os dias e devo dizer que por muitas vezes erro feio! Porém quanto mais feio for o erro, mais rápido eu vejo que errei, aprendo e corrio meu erro.
Decisões rápidas, são diferentes de decisões onde se tem tempo para analisar a fundo os prós e os contras de sua escolha.
Aqui vai um passo-a-passo da decisão rápida:
1- Discriminar e separar as ecolhas;
2- Visualizar rápida e superficialmente as micro-vantagens e as macro-desvantagens de cada escolha;
3- Escolher a escolha de maior quociente micro-vantagens/macro-desvantagens;
4- Respirar fundo e orar;
5- Se não houver nenhum sinal divino que mude sua decisão, decida!
6- Repetir o passo 4.
Se por um acaso, você tomar a decisão errada, fique atento para que a "ficha caia" o quanto antes, para que você possa ver seu erro, aprender e corrigí-lo. Se errar, estará investindo em conhecimento.
O que acho mais importante dentre todos os passos é minimizar as macro-desvantagens, ou seja, tudo que está distante em raio, mas mesmo assim ao seu redor e pode ser afetado de forma negativa por sua decisão.
Decida e decida rápido!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Falaremos um pouco sobre esse assunto aqui, o Mercado de Renda Variável, mas tentarei explicar da forma mais “entendível” possível, pois alguns (inclusive eu) vêem dificuldade em entender por causa dos demasiados termos técnicos, estrangeiros e etc.
Essa será uma visão bem superficial do tema, só para mostrar que não é nenhum bicho-papão, e quem quiser saber mais, terá que enfiar a cara em livros e cursos e comer com farinha.

“- Não invisto em Ações, pois sei de muita gente que perdeu tudo! É muito arriscado!”
Muita gente fala isso. Quando meus familiares e amigos souberam que eu investia nesse mercado, só faltaram me internar.

Pense no Mercado de Ações, como uma feira. Lá tem diversos tipos de frutas e legumes, gente querendo vender e gente querendo comprar. Sobre os preços nessa feira, age a lei de Mercado (Oferta/Demanda). Quanto maior a demanda (Gente querendo comprar), mais o preço daquele legume subirá. Quanto maior a oferta (Gente querendo vender), mais o preço do mesmo legume cairá. A respeito da liquidez nessa feira, tem legume que é mais fácil de achar tanto pra comprar, como pra vender, em qualquer época do ano. Mas também tem legume difícil de achar em qualquer época do ano.

Uma ação é uma pequena parte de uma empresa de capital aberto. As empresas de capital aberto, são aquelas que seus valores mobiliários são admitidos nos mercados organizados (ex.:Bolsa).
Existem dois tipos de ações: Ordinárias (ON) e Preferenciais (PN).
ON – Ações que lhe dão o direito de votar nas assembléias da empresa.
PN – Ações que lhe dão preferência na distribuição dos resultados, dividendos e juros sobre capital próprio, de no mínimo 10% superiores aos das ON. Dá também preferência no reembolso do capital em caso de liquidação da empresa.

Dividendos – É a parcela do lucro líquido da empresa, que é distribuída aos acionistas, na proporção da quantidade de ações que o mesmo detém, ao fim de cada exercício social. As empresas de capital aberto devem distribuir no mínimo 25% do seu lucro líquido. E se a mesma apresentar prejuízo, ela não tem a obrigação de distribuir os dividendos.
Portanto, antes de comprar ações de alguma empresa, veja como é a distribuição de dividendos dela.

Juros sobre capital próprio – São proventos pagos em dinheiro, dedutíveis do lucro tributável da empresa.

Como fazer?
Você pode operar no Mercado de Renda Variável das seguintes formas:
- Comprando cotas de algum Fundo de Ações, onde um gestor capacitado administrará as operações no Mercado, para a valorização das cotas do Fundo.
- Participando de um Clube de Investimentos, que é quase a mesma coisa dos Fundos, porém tem maior acessibilidade para o pequeno investidor.
- Operando diretamente por intermédio de uma corretora de valores, onde você pode comprar e vender ações no estilo antigo via telefone, ou da forma mais comum usada atualmente, o Home Broker, que são sistemas das corretoras onde você negocia via internet.

Nesse tipo de investimento você ganha dinheiro quando o preço da ação sobe em relação ao preço que você comprou e/ou quando você ganha com os dividendos e os juros de capital próprio. E pode ganhar ainda com o aluguel de ações, que abordarei no final.

Não existe valor mínimo para se operar diretamente, mas na minha humilde opinião só começa a valer a pena a partir de R$ 1.000,00. Isso porque as operações têm alguns custos, como a taxa de corretagem cobrada pela corretora, os emolumentos e a taxa de custódia.
Mas nada impede que você comece com R$ 10,00, comprando no Mercado Fracionário.
O Mercado Fracionário é onde você compra e vende ações quando não quer/pode comprar ou vender um lote inteiro (100 ações). No Fracionário tanto o preço como a liquidez, são um pouco diferentes do Integral.

Aluguel de Ações – Como alguns Ativos, tipo imóveis e automóveis, você pode alugar também suas ações. Funciona de forma parecida com as dos exemplos citados. Você compra, aluga, recebe o valor do aluguel e se o Ativo valorizar, seu patrimônio aumenta. Porém com ações, você ainda tem uma vantagem sobre os outros Ativos, que é a de se receber os dividendos e juros sobre o capital.

Nesse Mercado, existem diversas formas de ganhar dinheiro e aumentar seu patrimônio e muitas pessoas (A maioria) ficam perdendo tempo, guardando na cabeça o mito de que é esse o tipo de investimento mais arriscado!
Pense o seguinte:
Sempre que temos um dinheirinho guardado aparecem idéias de montar o seu próprio negócio, mesmo que você não tenha conhecimento algum de gestão de negócios, ou então um primo sempre aparece com “a super-idéia” faltando apenas capital. Daí você decide se confia mais em você do que nos gestores profissionais das grandes empresas listadas na Bovespa, ou ainda, se é melhor ser sócio desse seu primo, do que dos sócios da Vale, Petrobrás, Gerdau e etc.