BREAKING NEWS

sexta-feira, 30 de julho de 2010


Começa agora mais uma série de posts. Dessa vez o "Como Empreender"!
Estou adquirindo uma empresa e decidi detalhar todo o processo aqui, em tempo real, para que possam acompanhar o processo e verem o que fiz de certo, de errado e em quanto tempo eu fiz a empresa DETONAR, no sentido figurado ou literal.

Meu sócio descobriu um empresário, dono de uma marca tradicionalíssima em Minas Gerais, mas que há alguns ano vem perdendo mercado. Descobrimos que o motivo dessa decadência era puramente emocional e que o negócio possui um potencial enorme de crescimento.

Nos reunimos com o proprietário e apenas com nossas palavras, oferecemos a ele um vislumbre do que a empresa poderá ser conosco lá dentro. Ele então se encheu de motivação e despertou novamente sua paixão empreendedora, concordando sobre a necessidade de "interferirmos" nos caminhos do negócio.

Colhi uma avalanche de dados e coloquei meus dois sócios para buscarem mais informações. Estou estudando feito um moleque em recuperação de física e já passo a entender bastante sobre o negócio em si.

Até o momento só tenho feito contas e colhendo informações e essa é uma dica que deixo:
Faça o que está a frente para fazer e não deixe que seus sonhos ou planos mirabolantes para o negócio, te façam perder o foco. Just do it!

Os planos e a estratégia vêm depois das informações, coleta de dados e conhecimento sobre o negócio. Não adianta ficar confabulando nada antes disso!

Infelizmente, ainda não posso divulgar a marca em questão, mas em breve poderei!
Quanto a valores, fica para o próximo post.
Este é só o início de um grande negócio!

quinta-feira, 29 de julho de 2010


Há tempos me sinto intrigado por tanto ouvir falar e nada conhecer sobre este Mercado. Tenho conhecimento dos trilhões que rolam por ele lá fora, mas daí para o pequeno especulador operar nele, do Brasil, sem o aval da CVM, podendo se alavancar em 1/100 e arriscando perder apenas seu próprio capital e nada mais, é muita esmola.

Daí enquanto percorria o excelente Blog do Hugo, o Senhor Mercado, vi que ele deu início a uma série de posts a respeito do Forex, contando primeiramente sobre suas aventuras no simulador.
Ora bolas, já que ele está investigando o Mercado e repassando a nós sua experiência com competência, eu investigarei a credibilidade do mesmo aqui no Brasil, por enquanto.

Aqui não terá introdução ou vaselina, se você ainda não sabe nada sobre este Mercado, procure no Google que achará milhares de materiais a respeito.

De acordo com o Forex Club, intermediador que segundo minhas análises costuma pagar seus clientes... (abre aspas)

Sim, o maior medo do especulador brasileiro ao operar neste mercado, é que jamais conseguirá sacar (realizar) seus lucros. ... (fecha aspas)

Fiz contatos com alguns clientes e a grande maioria sacou lucros pequenos, de quinhentos reais para baixo, mas conversei com um que sacou 3k. Ok, não é muita coisa!
Tenho medo de fazer aplicações mais altas e quando for sacar um valor acima de 100k, não conseguir.

Até agora não encontrei ninguém que tenha sacado mais que 3k. Isso é ruim!
Se percorrermos fóruns no exterior, vemos muitas pessoas felizes e ricas, derretendo-se de elogios acerca do Mercado, mas no Brasil o silêncio é absoluto e incômodo.


Se há alguém que ganha muito, este não fala por medo ou falta de tempo. Já se alguém perde tudo, não abre a boca por vergonha de seu fracasso. E não me refiro a ganhar ou perder em seus trades e sim na realização do investimento.

Você não tem garantia alguma de que a "corretora" lhe pagará! Ah ok, você investe 1k e alavanca em 100 vezes, daí pode lucrar muito e se perder, é apenas 1k.
Mas a questão não é essa. Temos que saber se o sistema é realmente confiável, pois se consegue lucrar com 1k, imagine com 100!

Pois bem, este é o início da "Série Dinheirologia sobre Forex".

No próximo post, abordarei sobre a natureza da operação declarada às instituições por quem já recebeu e a natureza que deveria ser declarada. Falarei também sobre as formas de você receber pela Forex Club.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Durante minha leitura no final de semana, em que li o livro Os Mercadores da Noite, por sinal um livro bem legal, cheguei a uma conclusão que já estava mais que concluída em meu subconsciente, mas que ainda não havia "caído a ficha".
O transporte mais rápido para o enriquecimento, se você não possui capital, é a corretagem.

O que é um corretor?
É um agente de negócios cuja função consiste em aproximar as partes interessadas em determinada transação: corretor de imóveis, corretor da bolsa, corretor de câmbio e etc.
O vocábulo "corretor", vem do verbo correr, em seu significado semântico quer dizer:
O que anda, procura, agência negócios comerciais ou civis, serve de intermediário em compras e vendas de bens.
Corretores são profissionais autônomos,que poderão trabalhar individualmente ou constituírem-se em forma de sociedade, cuja função será a aproximação de pessoas na realização de um negócio, mediante o pagamento de uma remuneração denominada corretagem (Profª . MSc. Maria Bernadete Miranda).

Agora que a função está bem definida, devemos observar que sempre ao ouvir a palavra 'corretor', nos remetemos a imóveis ou bolsa de valores e isso limita nosso entendimento.

A Lei permite que qualquer pessoa seja uma Corretor Livre. E é aí que eu entro!
Os Corretores Livres são aqueles que exercem o ofício de intermediadores continuadamente, porém sem nenhuma designação oficial, e assim encontramos nesta categoria os corretores de espetáculos públicos, os de artistas, os de esportistas profissionais, e os de bens móveis, entre outros.
Embora a mesma Lei diz que o corretor livre pode sofrer sanções administrativas, e até ser inserido nos termos de enriquecimento ilícito, se o mesmo não se meter em alguma "roubada", não poderá ser penalizado.
Enriquecimento ilícito é "o acréscimo de bens que, em detrimento de outrem, se verificou no patrimônio de alguém, sem que para isso tenha havido fundamento jurídico". Sendo assim, basta que você enriqueça sem prejudicar ninguém.

Concluí que este era o caminho enquanto lia a saga de Julius Clarence (Os Mercadores da Noite), que embora seja uma obra de ficção, me fez lembrar da saga de cidadãos ícones em meu Hall dos Fodões, entre eles, Warren Buffett, Eike Batista e Chris Gardner. Todos estes começaram suas fortunas a partir da corretagem de grandes somas.

A lógica é bem simples:
Você adquire o conhecimento necessário para o negócio e depois, identifica as oportunidades, lembrando sempre que o Mercado jamais trará certezas e sim, oportunidades.
Daí você precisará de grana para aproveitar a oportunidade e de acordo com o post, você não tem. Então você corre (de corretagem mesmo) atrás de alguém que queira a oportunidade que você encontrou e tenha o que você não tem, o dinheiro.
Por fim, negocia sua corretagem (onde se for possível, ganha nas duas pontas), bate o contrato e aproxima as duas partes.

Quando acabar, basta contar o dinheiro.
Sei que não é muito ético escrever dessa maneira, mas aqui no Blog as coisas funcionam assim!

O grande segredo deste negócio é procurar por oportunidades com alto valor agregado, pois quanto maior o objeto da corretagem, maior o valor da mesma. Portanto se você fizer a corretagem de um veículo no valor de 50 mil, consegue um dinheirinho para uma viagem de final de semana para um hotel fazenda. Mas se for o corretor responsável por um negócio de 50 milhões, consegue sua independência financeira em um único negócio.

Como já disse várias vezes por aqui, nós sabemos a distância que nos separa da riqueza e não o tempo. O que define o tempo para chegar lá, é seu meio de transporte.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Poxa, que crise de inspiração!
Vejo muitos blogueiros com este problema que se parece muito com a fobia dos escritores profissionais. Meu Blog tem o objetivo de mostrar outros caminhos às pessoas, por meio da minha experiência ou por posts técnicos sobre investimentos.
Mas eis que agora me bateu um branco!

Sobre minhas experiências atuais nos negócios, ainda não posso detalhá-las, pois ainda não se concretizaram. Sobre assuntos mais técnicos, não me vem nada em mente para escrever no momento.
Claro que acontecem coisas todos os dias, mas as boas eu ainda não posso contar e as ruins dá vontade de abrir o verbo por aqui, mas aprendi que hoje em dia o que escrevo aqui toma proporções enormes.

Costumo a ter várias idéias sobre posts fabulosos quando estou voltando pra casa, em cima da moto, mas daí pra parar a moto, tirar as luvas e anotar algo em meu celular dá uma preguiça danada.

Estou muito empolgado pra filmar alguns vídeos para a TV Dinheirologia também, mas está faltando tempo. Essa TV tá prometendo...

Minha Honda Biz foi presa de novo. Meu carro estragou e eu já havia decidido por vendê-la mais barato, para que o comprador pagasse suas pendências e eu não tivesse que pagar nada (tempos difíceis). Daí caí na besteira de usá-la e me estrepei.

O maior problema é a burrocracia do Detran para liberar o veículo, mas já falei muito disso por aqui.

Venho segurando dois fardos incríveis ultimamente.
Um diz respeito às sucessão de coisas ruins que vêm acontecendo em minha vida. Quando escrever meu livro, farei questão de detalhar cada uma delas, com ênfase nas que humilham, menosprezam e subestimam. Mas por enquanto, apenas levanto a cabeça, dou uma bela olhada em meu Placar Interno e digo pra mim mesmo:
- Ninguém disse que seria fácil!

Já o fardo maior e mais pesado, traz as inúmeras oportunidades que estão a minha volta. São oportunidades as quais eu não esperava tão cedo em minha vida (pós-educação financeira), mas que estão se acumulando sobre mim e que por muitas vezes me colocam num estado emocional desfavorável.

Tudo isso vem me bloqueando. Nem em meu inestimável banheiro, as idéias estão fluindo, mas até hoje minha esposa me pergunta o motivo de trancar as portas do banheiro quando vou tomar banho... lá é meu santuário.

Enfim galera, quando esiverem "bloqueados" como eu estou agora, liguem seus Ipods, coloquem os fones nos ouvidos e abram a página de postagem do blog.
Daí, escrevam o que der na telha!

Ah... aos meus parceiros de negócios, deixo uma citação minha:

Quando nos emocionamos, aquele adversário limitado e invejoso consegue nivelar o jogo. Nossas emoções devem ser compartilhadas com aliados e jamais com adversários.

domingo, 18 de julho de 2010

Disponibilizamos para download aqui no Blog, um guia sobre Forex, o lendário mercado onde rola mais grana que em qualquer outro, mas onde os brasileiros não têm a proteção da CVM. Baixe o material e leia para entender mais sobre este mercado e talvez, pegar alguma fatia de toda essa grana.


Ps.: Depois que baixar e estudar o material, já estará preparado para ler ESTE POST.

Ps.: Ao clicarem para fazer o download, aparecerá uma página de propaganda da AdF.ly, daí basta aguardar 5 segundos, até que o contador no canto superior direito da página chegue no zero, daí você clica e cai na página do Hotfile, onde está o arquivo.

quinta-feira, 15 de julho de 2010


Estou com TPACI, Tensão "Pré-Alguma-Coisa-Importante"! Cara, eu estou muito maluco! Tento organizar as coisas em minha mente, controlar minhas ações e equilibrar meu espírito, mas não consegui ainda.

Geralmente uso uma técnica muito boa para quando algo importante está prestes a acontecer e eu tenha que fazer esse algo importante acontecer. Minha técnica se chama JUST DO IT (Juro que não copiei de nenhuma campanha publicitaria). A mesma consiste em eliminar as consequências e apenas fazer o que devo e sei fazer.

Mas a situação em que me encontro hoje é bem diferente...
Estou prestes a fechar um negócio que pode abreviar minha "guerra financeira" de 14 anos para 1. Isso não é qualquer coisa! Sei que um investidor deve se manter frio e eu aprendi a ser assim, mas essa situação vem me consumindo por dentro. Ninguém consegue notar, justamente pela minha frieza exterior, mas geralmente em situações tensas aparento frieza absoluta e sou realmente a personificação dela, por dentro e por fora.
Dessa vez eu estou feito uma criança em véspera de Natal, sabendo que alguém bem próximo deseja assassinar o Papai Noel.

Não posso deixar que matem meu Papai Noel! Não depois de todo o esforço dele para me trazer este invejável presente...

Ok! Vocês não devem estar entendendo nada.

Pois bem, estou para fechar o negócio descrito acima e após este, virão muitos outros de valores bem graúdos também. Mas como tudo que é criado de muito bom cria consigo algo ruim de igual valor... pausa...

Essa é uma teoria minha, já que nunca achei um autor que expusesse a mesma linha de raciocínio. Penso que para tudo que existe de bom no universo, existe também algo de ruim no mesmo tamanho e qualidade. É algo tipo uma Teoria da Equidade, mas não aquela do Stacy Adams, pois essa eu concordo em partes.
Acredito em energia e como o universo tem que se manter em equilíbrio, acredito que quando algo bom é criado ou feito, o universo compensa (Stacy Adams) com algo ruim e vice-versa... fim da pausa...


Então tem esse super-negócio e ao mesmo tempo tem gente querendo que o mesmo vá para as "cucuia", por pura inveja ou descontentamento com suas limitações. E como tenho que conviver com essa massa de energia negativa circulando ao meu redor, fica difícil de manter o equilíbrio entre minhas energias positivas, minha ansiedade, meus sonhos, meus paradigmas e o negócio em si.
Começo a divagar sobre o que está acontecendo, a Teoria do Caos, a Lei da Atração... putz! Por isso me pego conversando sozinho em cima da moto... tô ficando maluco. Legal, ficarei rico e maluco.

Fico na expectativa de chegar o momento em que possa fazer alguma coisa, pois aí eu me destaco no maior estilão "JUST DO IT" de ser. Mas enquanto tenho que esperar, é foda!

Já que citei Stacy Adams aqui, exijo minha compensação! O Universo tá me devendo um bocado.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Pessoal, vendas não tem mistério, mas tem técnica. Meu índice de sucesso em vendas se mantem em 100% já faz um bom tempo e não possuo nenhum segredo ou dom de nascença.
Tudo se resume a dedicação, profissionalismo e técnica.

Eu era um fracasso em pessoa quando o assunto era vendas. Mas depois que não tive mais opção, fui obrigado a mudar essa qualidade em mim.
Separei meus negócios dos negócios da família e como não tinha mais meu pai para vender pra mim, tive que me virar sozinho.

Aí veio a parte da dedicação, onde estudei e treinei muito sobre vendas, além de pesquisar muito sobre PNL, oratória e sociologia. Quem me conhece sabe que quando tenho um objetivo, sou capaz de buscá-lo 24 horas por dia.
Sobre o treino, é até divertido. Você pode treinar vendendo algum produto (sem tê-lo) a qualquer para parente ou amigo. Trabalha toda a venda e quando a pessoa fechar, você diz que trata-se apenas de um treino.
Eu tinha mania de me vender também. Me vendia para quem não gostava de mim, ou para alguém que não costuma a interagir com "qualquer um". Se a pessoa virasse "minha fã", era o sinal de sucesso em minha venda.

Quanto ao profissionalismo, vi que precisava entender tudo sobre o que estivesse vendendo, mas isso é básico. Um bom profissional tem que fazer mais, ele tem que entender tudo sobre seu cliente também. Dessa forma, já munido de conhecimento sobre o produto, eu buscava o máximo de informações possíveis sobre o cliente, daí montava um plano de curto ou médio prazo para conquistar o cliente e vender meu produto.
Aqui se encontra o profissionalismo. Pesquisa, registro, análise, plano e ação.

Já a técnica poderá ser encontrada na maioria dos livros sobre vendas. Mas este terceiro item tem seu desenvolvimento totalmente dependente dos dois itens que o antecedem. Portanto, se quiser desenvolver sua técnica, invista em dedicação e profissionalismo antes.

Em minha nova empresa, como conto com mais dois sócios-vendedores, desenvolvemos uma abordagem que me deixa como "A Carta na Manga". Eu sou a carta! Os dois tentam vender, mas se não obtêm sucesso, tiram a carta da manga, no caso eu.
Bom... e eu... EU SEMPRE FECHO!

Ah é, um bom vendedor deve ter sua autoconfiança beirando a presunção. Kkkkk

Semana passada estava reunido com algumas pessoas que negociavam alguns kk's e tive a audácia de garantir aos mesmos que sou capaz de vender tudo o que eles querem, num intervalo de tempo surpreendente.
Depois parei pra pensar no que prometi...

Como vendedor, primeiro a gente vende, depois corremos atrás do que foi vendido. Já como gestor... vixe!

terça-feira, 6 de julho de 2010


Cara, não sou religioso, nem sigo os ensinamentos bíblicos, mas essa afirmação é corretíssima no que diz respeito à Dinheirologia.
Estive agora mesmo com meu irmão, falando sobre isso.

Quando o assunto é sucesso, não adianta ficar esperando de outros, ou de Deus, pois se não for buscá-lo, não o terá.
E não tem jeito, você terá que dar algo em troca do sucesso. Quanto mais você der em troca, mais receberá depois.

Ah! E só para registrar, não adianta fazer aquele tipo de jejum muito usado por alguns crentes:
- Ficarei 1 ano sem viajar ao México, para que isso aconteça.
Ok, mas o problema é que a pessoa acima nunca viajou para o México.

Você realmente tem que dar algo em troca, para ter o que você quer.
Já pararam pra observar que a maioria dos homens bem sucedidos já tiveram um ou mais divórcios?
Pois é, eles deram seus relacionamentos em troca do sucesso, consciente ou inconscientemente.

Lembram-se daquele nerd do colegial, que só tirava 10 e era zoado pelos espertões da turma?
Sim, hoje ele é incrivelmente bem sucedido com sua empresa de tecnologia.

Ah... aquele garoto que não podia sair com a turma na adolescência e tinha treinos aos domingos e feriados?
Ele hoje é campeão mundial em seu esporte.

Posso citar "n" exemplos de nosso convívio.
Portanto tenho a certeza de que para se ganhar algo, é preciso dar algo de mesmo valor em troca. Mas devemos fazer tudo de forma consciente, para que não sejamos vítimas de nosso sucesso.

Atualmente trabalho mais de 12 horas por dia, uso algumas horas para estudo e mais alguns minutos ao telefone a qualquer momento. Às vezes minha esposa tem vontade de me matar e isso é algo que tenho de controlar. Não estou afim de dar meu relacionamento em troca, mas fora isso, dou tudo de mim!

Dei minha academia, meus músculos, meu condicionamento físico, minha alimentação super-nutritiva, alguns colegas, boa parte de minha diversão e meus hobbys mais caros (quase todos). Dei tudo isso em troca!

E você? O que você deu em troca de seu sucesso ate agora? O que pretende dar?
É bom começar a pensar...

Pra finalizar, fique com o trecho bíblico que fala sobre isso:

Porque se vocês derem, receberão!
Suas dádivas voltarão a vocês em medida cheia, e transbordante, apertada, sacudida para dar lugar a mais um pouco, até derramar.
A medida que vocês usarem para dar, - grande ou pequena- será usada para medir o que lhes derem de volta. - Lc 6. 38

sábado, 3 de julho de 2010

Não tive tempo de postar durante a semana, mas venho extraordinariamente hoje (sábado), postar aqui um poema que ouvi enquanto assistia a um filme de mesmo nome na noite de ontem.
O filme não é tão bom assim, já que estou mal acostumado com filmes de Clint Eastwood, pois adoro todos. Mas o poema...

O poema é uma fonte de inspiração para quem está passando pela "fase de persistência", descrita por Napoleon Hill. Aliás, não preciso gastar meus dedos escrevendo mais sobre o poema, basta dizer que este serviu de "muleta" para ninguém menos que Nelson Mandela, durante seus quase 30 anos dentro de uma prisão.

Segue o poema de William E. Henley (traduzido):

INVICTUS

Do fundo desta noite que persiste
A me envolver em breu - eterno e espesso,
A qualquer deus - se algum acaso existe,
Por mi’alma insubjugável agradeço.

Nas garras do destino e seus estragos,
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamentei - e ainda trago
Minha cabeça - embora em sangue - ereta.

Além deste oceano de lamúria,
Somente o Horror das trevas se divisa;
Porém o tempo, a consumir-se em fúria,
Não me amedronta, nem me martiriza.

Por ser estreita a senda - eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma.