BREAKING NEWS

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Pois é pessoal, como havia prometido no post "Funcionário: Vou Levar Você no Pau", reservei um tempinho hoje para escrever sobre como se desenrolou tudo.
Enfim saberemos se a Justiça do Trabalho realmente favorece os empregados, como vários empresários alegam, dentre eles meu pai.

Como disse no post que deu origem a esse, em minha empresa, fazemos de tudo para que os processos trabalhistas sejam corretos e transparentes. Faço questão de deixar tudo muito correto. Porém como tenho pessoas envolvidas nessa área, sei que as mesmas podem errar.

Sabendo disso, pedi à nossa advogada que transmitisse a verdade sobre todos os fatos ao juiz e levasse as inúmeras provas que tínhamos, além de duas testemunhas. E disse:
- Não quero lesar ninguém! Se tiver que pagar alguma coisa, pague! Não conteste!

Nossa empresa, depois de devidamente formalizada, nunca teve nenhum problema com funcionários a ponto de ter que comparecer à Justiça do Trabalho.
Mas nem sempre foi assim...
Quando meu pai liderava tudo, eu assistia seus embates na Justiça do Trabalho. Ficava nervoso por assistir o funcionário concordando com suas regras de ser um serviço diário, sem direito a mais nada e depois ver aquele mesmo funcionário dizer perante um juiz que jamais havia escutado aquilo.
Mas mesmo assim eu sabia que a culpa não era da Justiça e sim do meu pai que confiava demais nas pessoas.

Enfim, nunca tive a chance de comprovar se a justiça era justa ou não!
Eis a minha chance...

A intimação pedia um valor abaixo de 10 mil;
O funcionário havia trabalhado por pouco tempo;
O mesmo baseou sua acusação em mentiras que jamais poderia comprovar;
A empresa tinha provas e testemunhas contra todas as acusações;
O funcionário ameaçou nossas testemunhas dias antes do julgamento.

Ótima oportunidade para testar a justiça!
Se perdêssemos essa causa, que nada tinha haver com interpretação de fatos e sim com os fatos em si, os quais poderiam todos serem comprovados por nosso advogado, eu realmente poderia afirmar que existe a Justiça do Trabalhador.

O resultado foi que o Juiz já enxergou no início quem se baseava em fatos e quem inventava os fatos. Foi uma lavada!
E ainda registramos na hora as ameaças que o "Acusador" fez aos nossos funcionários.
Enquanto metíamos uma goleada de 8 a 0, saiu um golzinho de 500 reais divididos em duas parcelas, por causa de uns dias que ele trabalhou aqui em teste, sem contrato.

O juiz disse que manteria em aberto para nós, caso quiséssemos abrir um processo contra as mentiras que o ex-funcionário contou, mas orientei ao advogado não mexer com isso e não é porque sou bonzinho, mas porque se fizesse isso, poderia estar transformando um mentiroso em marginal e assim comprometendo toda a sociedade.

Pois é, sei que alguns não concordaram, mas pelo menos por enquanto posso afirmar:
A Justiça do Trabalho é justa, mas você realmente tem que ser correto e registrar todos os processos trabalhistas.

O problema é o sistema que ainda me deixa putho! Não é o acusador que deve comprovar que você é culpado e sim você que deve comprovar sua inocência!

CASO ENCERRADO! (Sempre quis dizer isso!)

quarta-feira, 28 de abril de 2010


Pois é galera, estou dando um perdido nos leitores do Blog. A galera "da antiga" já sabe que quando me afasto é porque grandes coisas estão acontecendo.
Dessa vez não é diferente, muitas grandes coisas estão acontecendo!

Minha nova empresa está com 3 projetos muito grandes para ótimos negócios, sendo um deles na TV aberta e a empresa de biscoitos está se preparando para um aumento de 70% no faturamento, implementação de nova estratégia tributária, abertura de uma empresa e aquisição de outra. Tudo isso ainda neste semestre!
Fora isso ainda estou ajudando um grupo da PUC-MG em uma monografia e isso e tira algum tempo.
Claro que à medida que as coisas acontecerem, vou descrevendo tudo aqui, mas por enquanto elas ainda estão acontecendo e por isso mesmo não devo escrever, pois ainda não vi o resultado.

Minha vida pessoal (financeira) ainda continua na mesma "pindaíba" devido as dívidas daquele negócio mal-sucedido. Mas estou muito bem, pois vejo meu jardim cada dia mais bem cuidado.

Outra coisa que está me tomando muito tempo são os spams no Blog! Depois que o Google me deu o PageRank 3, esses bichinhos invadiram o blog e agora todos os dias tenho que sair apagando uns 50 spams.
Não quero colocar aquela identificação de letras nos comentários, porque sei que é um saco e afastará quem comenta, portanto não sei o que fazer. Por enquanto vou apagando todos os dias, mas se ganhar mais um pontinho de pagerank, tô fodido!

Outro motivo para a falta de tempo foi meu amigo gringo que estava aqui. O cara foi meu Curso Intensivo de Inglês Ambulante durante 3 semanas. Aproveitei para criar mais um Atleticano! Kkkkkk

É isso aí! No mundo da globalização 3.0 (Thomas L. Friedman), não podemos ficar parados. Claro que sei da importância dos Blogs nesse novo mundo, mas meu Blog vive de minhas experiências, portanto tenho mais um motivo para não ficar parado.

Ps.: Depois que sair dessa pindaíba e comprar meu HTC Pro2 (Que nenhuma operadora tem pra me dar) eu postarei com muito mais frequência!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

A cada dia que se passa, o sonegador perde mais espaço e tempo no Brasil. Canso de ouvir até mesmo de pessoas com um patrimônio invejável que quem não sonega, não enriquece no Brasil. Então não há formas de enriquecer legalmente no Brasil!?

Bem, em minha opinião falácia totalmente desmedida!
Maaaaaasss...
Tenho essa opinião teórica, já que ainda não sou rico e por isso não tenho experiência o bastante para contestar o que algumas pessoas ricas dizem com propriedade.

Hoje em dia o Governo faz malabarismos para cercar os sonegadores. São diversas investigações, projetos, Leis, campanhas de marketing, bonificações e etc. O Governo está aos poucos construindo seus muros e as vezes até mesmo prejudicando os corretos, como foi o caso da Nota Fiscal Eletrônica, lançada com obrigatoriedade com pouco planejamento e nenhum suporte a quem tinha o interesse. Tudo isso por pressa em construir os muros.

Por outro lado, até mesmo os "pagadores de impostos" entendem que são necessárias medidas rápidas para que tenhamos um mercado mais justo.
Quanto a carga tributária, já sabemos que é um absurdo descarado, mas quando eu nasci já era assim, portanto tive 31 anos para me adaptar, fazer uma revolução ou me mudar para outro país.

Hoje em dia, sei diversas formas LEGAIS de se pagar menos impostos, ou como Robert Kiyosaki: De me pagar antes de pagar os impostos.
E sinceramente não sei porquê tanta gente se arrisca a sonegar. Acho que é por preguiça!

Da mesma forma que não aceitaria ganhar na MegaSena, não aceitaria enriquecer sonegando impostos. Já disse que meu objetivo não é o dinheiro em si, ele é consequência e não causa. Quero enriquecer pela conquista de sair de onde saí e chegar onde a grande maioria afirma que só chegaria se fosse bom de bola, político, famoso ou se ganhasse na loteria.

Enfim, se você possui uma empresa e sonega seus impostos, saiba que está travando seu próprio crescimento, perdendo tempo e dinheiro com isso. Daí se um concorrente deixar a preguiça de lado e estudar como pagar menos impostos sem sonegar, ele ganhará em Market Share, terá um diferencial contra sua empresa, será mais respeitado, correrá menos riscos, terá mais crédito e poderá até mesmo te denunciar.

Pense da seguinte forma:
Se você quiser investir ou negociar com uma empresa e tiver duas opções, qual você escolheria:
1) Empresa que fatura 120k (Fiscal) por ano e vende seus produtos por 10,00, metade com Nota Fiscal e metade sem cobertura de Nota Fiscal;
2) Empresa que fatura 240k (Fiscal) por ano e vende seus produtos por 10,50, todos com Nota Fiscal.

É assim que todo o Mercado, investidores e stakeholders enxergarão sua empresa. Você acha melhor ser a empresa 1 ou a 2? Por qual tipo seus concorrentes optaram?

Aqueles 0,50 centavos a mais, não foram citados a esmo. É um valor aproximado do que uma empresa LEGAL poderia fazer diante de um concorrente com preço inferior em meu segmento (MG).

Corra para fazer um bom planejamento tributário e pare de travar seu crescimento!
Pare de colocar a culpa de sua sonegação no Governo! A culpa é de sua preguiça!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Não é de hoje que patrões acusam a justiça de favorecer os empregados e estes acusam os patrões de inúmeras barbaridades.
Eis que pela primeira vez eu poderei comprovar se realmente a "Justiça do Trabalho é justa". Pela primeira vez um funcionário está levando uma empresa minha "no pau", como ele mesmo disse.

Vou relatar toda a história, para que quando houver o desfecho em 30 de abril de 2010, todos os leitores já tenham conhecimento do caso.

O funcionário em questão foi contratado por nossa empresa para um período de experiência, que foi prorrogado até completar 90 dias, conforme permitido pela lei.
Efetivamos o mesmo após este período e após 1 mês de trabalho, ele pediu suas contas, pois havia conseguido um emprego melhor na Petrobrás.

Pedimos que ele escrevesse sua carta de demissão e solicitamos o extrato de seu acerto à contabilidade. Quando o mesmo viu que não tinha nada a receber e sim a pagar, pois não cumpriria o Aviso Prévio, ele surtou, pegou a carta que havia escrito e saiu correndo dizendo que nos levaria "no pau".

Entrei em contato com a contabilidade, para me certificar de que aquelas contas estivessem corretas e eles me explicaram, confirmando a exatidão do cálculo.

Agora chegou a intimação para a audiência e vimos que o ex-funcionário mentiu descaradamente sobre diversos fatos!
Temos provas de tudo e mais de 15 testemunhas, mas mesmo assim tenho que ouvir pessoas dizendo que alguma coisa ele vai levar...

Como assim?!?
Minha empresa paga e faz tudo de acordo com a Lei. Registramos tudo e trabalhamos de forma preventiva justamente para evitar esse tipo de coisa. Agora será que pagaremos um valor que não existe e está fundamentado em mentiras absurdas?!
Acredito na Justiça e já orientei ao advogado que se algo estiver errado nas contas da contabilidade, que pague imediatamente, mas quero também abrir um processo contra este ex-funcionário devido as mentiras ditas à Justiça sobre nossa empresa.

Não pode ser assim!
Você faz tudo certo e se alguém diz o contrário é você quem tem que pagar para provar sua inocência?!?

O certo seria você fazer tudo certo e se alguém quiser dizer o contrário, este primeiro teria que provar o que diz à Justiça, para depois te incomodar.

Pra começar o sistema já está errado, pois terei que pagar um advogado para provar minha inocência. Mas mesmo sabendo que o sistema é todo errado, acredito que a Justiça não terá dúvidas quanto ao caso.

Não quero "puxar a sardinha" para o lado dos patrões, mas se todo funcionário quiser levar o patrão na Justiça, fundamentado em mentiras, sem pagar nada (pois os advogados recebem comissões), arriscando-se apenas a ganhar uma bela grana, o país quebrará!
Imaginem quantas empresas não possuem registro de ponto, protocolos arquivados e etc.
Estão todos fodidos, por mais corretos que sejam.

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos pra ver!
Assim que meu advogado me ligar no dia 30/04 eu me comprometo a vir aqui relatar o que aconteceu.
Não estou nervoso com o caso em específico e nem com a Justiça (ainda), mesmo porque, se acontecer o absurdo de ele ganhar o que está pedindo, seriam apenas grãozinhos de areia para a empresa.


Eu estou p... da vida é com o Sistema! Sim, da mesma forma que esses rappers das favelas fazem! Tenho que gastar tempo e dinheiro para provar que estou certo, enquanto a outra parte não gasta nada pra arriscar ganhar uma grana e mentir à Justiça!

sexta-feira, 16 de abril de 2010


O cara conhece a menina dentro da boate. Tem boa aparência, boas idéias e carisma. Olhando pra ele, aos vinte e poucos anos, parece ser um cara com uma boa vida financeira também.
Daí a menina se encanta pelo príncipe, que parece retirado de seus sonhos.
Porém, quando sai da boate com seu príncipe, para que o mesmo a deixe em casa, ela se depara com a abóbora do príncipe!

O cara, como marcha na contramão da grande maioria dos jovens, investe seu dinheiro na construção de sua vida financeira, não sobrando assim tempo e nem dinheiro para abastecer Passivos que demonstrem seu status social.
Por este motivo, o cara tem um carro econômico e barato.
Daí a menina, vê suas amigas entrando em vistosos e possantes carros de outros amigos (financiados em 72 vezes) e começa a duvidar de sua escolha do príncipe encantado.

Às vezes até mesmo o príncipe pode ter um acesso de baixa estima por isso...


Ps.: Foi apenas um exemplo... claro que isso não costuma acontecer!

O que talvez a menina jamais entenderá, é que só após uns 10 anos, é que ficará claro quem era o príncipe e quem era o sapo. Pelo menos no ponto de vista financeiro da coisa.

Este é apenas um exemplo de como o status pode influenciar a vida financeira de um ser humano no mundo capitalista.
Jovens e pessoas imaturas se deixam levar pela sensação de poder trazida pelo status que algum Passivo possa trazer. É isso que todos querem, PODER!

O dinheiro traz poder, mas nem sempre o poder traz dinheiro.

Esse é o verdadeiro "X" da questão.
Não adianta tentar demonstrar o poder antes de ter o dinheiro, pois o fracasso (financeiro) é quase certo.

Não estou defendendo a bandeira do Tio Patinhas, para que que todos se transformem em "muquiranas". Podemos gastar com baladas, presentes, viagens, jantares, roupas e etc. O que não podemos fazer é nos endividar para suprir nossa necessidade de ter um Passivo caro.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

"O mundo não é só sol e arco-íris. É um lugar muito ruim e mau... E não me importa quão durão você é, pois ele vai bater-lhe até ficar de joelhos e o manterá lá permanentemente se você deixar.
Você, eu e ninguém vai bater tão duro como a vida.
Mas não é sobre quão duro você bate. É sobre o quanto você consegue apanhar e continuar seguindo em frente. Quanto você pode tomar e continuar avançando. É como a vitória é feita.
Agora, se você sabe o que vale a pena, saia e consiga o que vale a pena pra você. Mas você tem que estar disposto a tomar as porradas e não apontar dedos dizendo que você não é o que você queria ser por causa dele ou dela ou de ninguém.
Covardes fazem isso e você não é um! Você é melhor do que isso!"

(Rocky Balboa)

terça-feira, 13 de abril de 2010

Não esperava tamanho sucesso nessa campanha que fizemos no Axé Brasil 2010, que aconteceu no último final de semana. O investimento foi mínimo e o sucesso dos Biscoitos Caipirão em pleno Axé Brasil foi estrondoso.

Fomos em uma equipe de 10 pessoas: Eu (o faz tudo), nosso diretor comercial, o diretor de relacionamentos, a coordenadora e as 6 Caipiretes.
Descolamos um stand de frente para o maior e melhor camarote do evento e fomos sucesso absoluto. Todos procuravam pelos deliciosos biscoitos e nós oferecemos uma enorme variedade de sabores.
Enquanto o camarote servia um macarrão aguado, nós oferecíamos qualidade.
Fomos para a frente do palco e distribuimos biscoitos para o "povão" também. Nesse momento senti na pele o que os artistas devem sentir. Era um mar de gente se pendurando nas grades pedindo biscoitos, gritando e estendendo as mãos.

Vários famosos experimentaram e aprovaram nossos produtos. Recebemos inúmeras propostas, fizemos inúmeros contatos e principalmente APARECEMOS.
A intenção era de apenas aparecer, todo o volumoso resto foi lucro! Eu adoro lucro, ainda mais quando ele vem aos montes.

Confiram as fotos!






Fabiano (da dupla César Menoti e Fabiano) e as Caipiretes!
Stand lotado!

Biscoito para o "Povão"

Arrumando o Stand

As Caipiretes!

A turma!

sexta-feira, 9 de abril de 2010


Eis o motivo de meu sumiço do Blog galera. Essa semana foi toda dedicada ao evento. Muita correria, mas em compensação a Ivete Sangalo, aquele cara do Rebolation e os demais artistas experimentarão os melhores biscoitos artesanais do Brasil!
Sem contar que estarei no camarote com tudo "0800"!

Biscoitos Caipirão!

Quem gostou da frase do panfleto?
O Zé do Clube do Pai Rico que me ajudou a criá-la! Valeu Zé!

"Quer ver um caipira fazer sucesso no Axé? Biscoitos Caipirão e Axé Brasil 2010, união inovadora e saborosa!"

terça-feira, 6 de abril de 2010

Ontem rolou o primeiro encontro do Clube de Investidores e Empreendedores de Belo Horizonte, carinhosamente chamado por mim de CIEBH.

Embora tenha recebido vários emails, comentários no Blog e Twittadas de pessoas querendo participar, esperávamos apenas 3 pessoas, mas sem avisos, apareceu o quarto elemento. Se quando era apenas eu e mais um, o assunto já rendia uma barbaridade, 4 caras, todos com muita bagagem, resultou em superlotação de assuntos e temas, o que o horário não comportou.

Abordamos vários assuntos e situações de vários negócios já existentes e também de possíveis negócios. Clareamos as idéias uns dos outros e ainda geramos um projeto de uma grande idéia.

O saldo foi mais positivo do que pensava!

Falta ainda um pouco de oganização na abordagem dos temas, pois hoje em dia funciona mais como um processo de testemunho e brainstorming, mas isso nós já estamos pensando para o próximo encontro que já tem data certa para acontecer, será no dia 03/05/2010. Como combinamos, toda primeira segunda-feira do mês.

Acho que são muitos assuntos para apenas um encontro mensal, mas nós vamos nos adaptando, mantendo a qualidade e tomando cuidados com a quantidade.
Seria legal se elegêssemos um membro para palestrar por no máximo 30 minutos, sobre um tema de sua escolha e claro, de seu entendimento. É uma idéia...

Poderíamos até colocar um ritual de iniciação: O calouro paga o pastel! Kkkkkkk

Enfim, se você possui alguma bagagem na área de investimentos e/ou empreendedorismo, seja ela acadêmica, teórica ou prática, entre em contato conosco e desenvolva seu potencial discutindo com outros que almejam a mesma coisa.

Toda primeira segunda-feira do mês, em Belo Horizonte. Participe!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Estava escrevendo um post sobre maneiras de se calcular o Ativo Intangível em pequenos negócios, mas tive que abortar a operação para tentar explicar melhor sobre meu último post, o "Como Avaliar e Comprar um Pequeno Negócio".

Escrevi o post tentando explicar sobre como avalio empresas nessa situação, mas acabei por gerar mais dúvidas.

Já me atiraram "pedras fundamentalistas", duvidaram de minha experiência e de meus negócios, como se tudo isso fosse novidade. E é exatamente por não ser novidade, que vem ficando cada vez mais chato.
Nem sequer leram essa frase no meio do texto:
...Deste modo, uso uma metodologia bem próxima do que é correto, mas também bem mais simples e fácil de enfiar na cabeça do dono do negócio...


Como não sou nenhum exímio comunicador, também não posso me sentir ofendido quando alguém compreende o que escrevo de forma errada, portanto decidi escrever o "Como Avaliar e Comprar um Pequeno Negócio 2" de outra forma, baseado nas melhores perguntas que recebi. Infelizmente foram apenas 2, mas já esclarecem muitas coisas.

O Zé, dono do Clube do Pai Rico, perguntou:
Agora um "desafio": Como você faria para ver o valor de um site ? ( a mesma coisa que você fez com um pequeno negócio, sendo o negócio um site )
Funcionaria da mesma maneira ?

Boa Zé!
Nunca sequer cogitei comprar um site, mas não estou muito longe disso, já que estou próximo de decidir se compro um programa de TV ou não.
Sinceramente, só pagaria algum valor por um negócio, independente de qual a sua natureza, se este tivesse um fluxo de caixa. E a partir do fluxo de caixa você já pode estimar um valor.
Sei que é difícil calcular o patrimônio de um site ou programa de TV, pois sua maior parte é intangível, mas há maneiras de avaliar...
Já fiz um rascunho de um próximo post no Blog sobre esse tema, justamente porque estou passando por isso hoje.
Devemos saber avaliar a marca, a abrangência, o tempo de mercado, o potencial e o network.
Em breve emplaco esse post aqui!

A outra pergunta veio do Roma, que está sempre por aqui e foi ela que me inspirou a escrever este post:
Uma coisa que me deixou confuso foi como afinal você avalia o negócio. Ainda mais como você calcula o EVA e margem de segurança de um negócio pequeno. Não entendi o seu racional no processo. Acho que dedicou pouco espaço para isso e acabou focando mais em negociação(que também é muito importante).

Teve a manha de perguntar e enfiar a crítica junto Roma!
Avalio o negócio de acordo com seu patrimônio, daí defino como se fosse um valor de inventário, somado a qualquer ativo intangível que este tenha.
Depois, pego seu Fluxo de Caixa e tento fazer uma avaliação por Fluxo de Caixa Descontado.
Se mesmo assim, o valor ainda estiver muito baixo, posso até fazer um estudo sobre os custos do produto/serviço do negócio, pra ver se pode ser melhorado. Mas friso que nas vezes em que avaliei pequenos negócios, não foi necessário fazer isso para gerar mais valor.
Como pode ver, apenas o histórico, o patrimônio e o Fluxo de Caixa, já me fornecem dados o bastante para uma avaliação do negócio.

Quanto ao EVA, claro que não poderemos nos ater aos balanços contábeis de pequenos negócios, mas se juntarmos ao Balanço, "informações reais" colhidas na parte "Insider" do negócio, muitas vezes, conseguimos calcular o Lucro Operacional Líquido Após Tributação (NOPAT). E às vezes de forma bem mais fácil, obtemos o valor do Custo do Capital.

A parte da Margem de Segurança, não está dentro da avaliação e sim na negociação. Depois que você já sabe qual o valor aproximado do negócio, você calcula sua Margem de Segurança e deduz desse valor, colocando como teto na negociação.

Se tiverem mais alguma dúvida, ou se ainda não consegui me expressar de forma clara, por favor comentem.
Não escrevo estes passo-a-passos, pensando em ser um guru ou algo do tipo e às vezes, mesmo já tendo aplicado o que escrevo, posso estar errado.

Agora podem discordar, mas ser professor, consultor ou qualquer outra profissão que seja paga para ensinar é bem mais fácil do que ser o cara que tem a obrigação de fazer o negócio funcionar!
Todas as teorias são válidas para agregar mais e reduzir o risco, mas na hora do "vamo vê", você tem que entender de tudo, customizar conforme a situação e ser LEAN.