BREAKING NEWS

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A Influência do Status


O cara conhece a menina dentro da boate. Tem boa aparência, boas idéias e carisma. Olhando pra ele, aos vinte e poucos anos, parece ser um cara com uma boa vida financeira também.
Daí a menina se encanta pelo príncipe, que parece retirado de seus sonhos.
Porém, quando sai da boate com seu príncipe, para que o mesmo a deixe em casa, ela se depara com a abóbora do príncipe!

O cara, como marcha na contramão da grande maioria dos jovens, investe seu dinheiro na construção de sua vida financeira, não sobrando assim tempo e nem dinheiro para abastecer Passivos que demonstrem seu status social.
Por este motivo, o cara tem um carro econômico e barato.
Daí a menina, vê suas amigas entrando em vistosos e possantes carros de outros amigos (financiados em 72 vezes) e começa a duvidar de sua escolha do príncipe encantado.

Às vezes até mesmo o príncipe pode ter um acesso de baixa estima por isso...


Ps.: Foi apenas um exemplo... claro que isso não costuma acontecer!

O que talvez a menina jamais entenderá, é que só após uns 10 anos, é que ficará claro quem era o príncipe e quem era o sapo. Pelo menos no ponto de vista financeiro da coisa.

Este é apenas um exemplo de como o status pode influenciar a vida financeira de um ser humano no mundo capitalista.
Jovens e pessoas imaturas se deixam levar pela sensação de poder trazida pelo status que algum Passivo possa trazer. É isso que todos querem, PODER!

O dinheiro traz poder, mas nem sempre o poder traz dinheiro.

Esse é o verdadeiro "X" da questão.
Não adianta tentar demonstrar o poder antes de ter o dinheiro, pois o fracasso (financeiro) é quase certo.

Não estou defendendo a bandeira do Tio Patinhas, para que que todos se transformem em "muquiranas". Podemos gastar com baladas, presentes, viagens, jantares, roupas e etc. O que não podemos fazer é nos endividar para suprir nossa necessidade de ter um Passivo caro.

4 comentários :

  1. João, achei esse teu post muito legal. Essa situação se encaixa perfeitamente no que chamo de mentalidade de falso rico. É aquele fulano que ainda não tomou consciência financeira e mete os pés pelas mãos gastando aquilo que pode e o que não pode apenas em nome de status. O rico verdadeiro sabe muito bem o valor do dinheiro e é parcimonioso.

    ResponderExcluir
  2. Pois é "É barato ser rico!", a chave é exatamente essa: Paciência.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Post Interessante!
    aquela velha questão.
    Você prefere ser o melhor cantor do mundo, mas ninguém conhecer seu trabalho ou ser um cantor 1/2 boca e todos acharem que você é o melhor?

    o exemplo citado no texto é otimo!
    o dificil é bolar estrategias para gastar com baladas, presentes, viagens, jantares, roupas e etc. e não se endividar ou atrapalhar a I.F.

    "O Homem vale os cavalos que tem!"

    ResponderExcluir
  4. Muito bom este post, retrata a realidade brasileira, a maioria tem sertos requisitos para comprar bens, ele tem que ser de luxo, chamativo e financiado. Post

    ResponderExcluir

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!