BREAKING NEWS

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Se tornando seu próprio treinador.


Pessoal, a dica de hoje será sobre algumas técnicas comportamentais utilizada na terapia breve. Para ser mais clara, vou apresentar uma breve explicação sobre o que é esse conceito e como podemos utilizá-lo no nosso comportamento.
Primeiramente existe a neurofisiologia do risco e recompensa, ou seja, quando nós deparamos com condições de incerteza e risco, os padrões de fluxo sanguíneo em nosso cérebro aumentam ativando os nossos padrões de resposta "luta ou fuga". O sangue flui para longe do córtex frontal, o nosso centro executivo, e vai para as áreas motoras e estruturas cerebrais inferiores. Isso significa que estamos menos propensos a ativar o nosso julgamento, planejamento, raciocínio e análise, quando mais precisamos dele. Técnicas de terapia breve ajuda as pessoas a permanecer focados em suas funções cognitivas executivos em condições de alta excitação emocional. Dito de outra forma, estes métodos de curto prazo vão ajudar a ficar calmo e focado em situações que normalmente evocam ansiedade, impulsividade, pensamentos negativos, ou a ganância. 
Para ilustrar a aplicação da terapia breve, irei dar como exemplo, um trader chamado João que está lutando com o problema de entrar impulsivamente nas operações.
 Embora João tem uma ideia geral de um plano de negociação, com um setup bem definido, um gerenciamento de risco, ele percebe que continua entrando em operações que não atendem seus critérios. Isto está a custar-lhe dinheiro, tanto em pagar as corretagens e em perdas comerciais. Como ele poderia começar a ajudar-se com o problema? Lembre-se que breves métodos para alterar padrões de problemas são eficazes quando esses padrões são situacionais. 
A primeira pergunta que João deve se fazer é se ele é impulsivo e indisciplinado em outras áreas de sua vida, fora da negociação, e se ele está experimentando as consequências negativas desta impulsividade mais amplo. Se a resposta for sim, isso é prova de que este não é apenas um problema situacional. Ao invés de tentar resolver o problema por conta própria, ele deve procurar um profissional para ajudá-la a descobrir isso. Talvez seja um problema de dependência; talvez seja um problema relacionado com déficit de atenção e / ou hiperatividade. Talvez seja o resultado de um transtorno de humor. Uma avaliação objetiva ajudará nisso. Se, no entanto, este é um problema recente limitado à negociação, as chances de sucesso com auto-ajuda são muito maiores.
A segunda pergunta que João tem que responder é a seguinte: "Porque está entrando impulsivamente? ”. No caso de João, ele pode estar tentando gerenciar um medo específico: um que o autor Doug Hirschhorn se refere como o " medo de perder ". Ele tem medo de que o mercado vai se mover sem ele estar a bordo. Seu problema real está em sua definição de oportunidade. Ou seja, ele vê o mercado se movimentar e por ter medo de “perder essa movimentação” ele entra no impulso, sem critério nenhum. Sendo que o movimento, em si, não é oportunidade.  A oportunidade “real” é quando se antecipa o movimento. João em seu pensamento acredita que não foi rápido o bastante para antecipar o mercado, e isso faz com que ele tenha diversas sensações e sentimentos que não permitem ele ter uma visão clara do mercado. É a sua auto-acusação e sua definição defeituosa de oportunidade que são os verdadeiros problemas. A sua entrada impulsiva é simplesmente a sua maneira de tentar lidar com estes problemas. Uma vez que enquadrar o problema desta forma, não é difícil encontrar soluções. 
Uma ferramenta comportamental que pode ser utilizada, é primeiramente João analisar seu desempenho, ir vendo a onde ele entrou no impulso e a onde ele seguiu sua técnica. João definiu duas configurações escreveu em um papel e colou em seu monitor.
A auto-acusação é uma coisa boa, se nós estamos focando o comportamento correto, ou seja, se você começar a se culpar por não seguir a estratégia, consequentemente vai mudar seu comportamento. Vai ver o mercado se mover e vai perceber que não é uma oportunidade “real”, e que pode esperar o movimento da sua estratégia para entrar. Essa mudança de pensamento é o que vai mudar seu comportamento.
Outra técnica que pode ser utilizada é você antes do pregão imaginar e visualizar sua configuração da estratégia, deixar elas bem delimitadas e definidas em sua mente. E ao ver uma movimentação do mercado comece a falar “o velho João entraria nessa operação sem sentido” o “novo João vai entrar nessa operação por que (comece a descrever o motivo da entrada em sua cabeça) ”. Ao aplicar essas estratégias vocês estão redefinindo o que significa buscar oportunidades, e automaticamente estão se tornando mais disciplinados.
Minha esperança é que estas ferramentas ajudam você se tornar seu próprio treinador de negociação. Se assim for, você vai ter desenvolvido habilidades para durar uma vida de negociação.


Priscila Somarriba.
Psicologa e Consultora / Trader.

Email: Priscila_somarriba@outlook.com / Skype: Priscila Somarriba/ Whatsapp: (16) 98143-8096



Um comentário :

  1. Tenho um bom histórico. Acerto 64% das vezes, em consequência, erro 36%. A relação entre o gain e o loss é de 1/1. Ou seja, estou com as probabilidades ao meu favor.

    Entretanto, algumas vezes, erro seguidas vezes. Já ocorreu de eu errar 8 vezes seguidas. Isso é um evento que só pode ser explicado por condições emocionais, pois a probabilidade disso ocorrer é de uma em 3544 é só calcular: 1/(36/100)^8.

    Conscientemente, sou muito disciplinado. Mas creio que algo ocorre, por vezes, em meu inconsciente que me leva a uma sequência perdedora. Só que eu não sei o que é e nem sei como descobrir.

    Como descobrir essa causa emocional, e ficar de fora da bolsa nesse dia?

    ResponderExcluir

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!