BREAKING NEWS

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Desafio Tributário - Lucro Real



Quem me conhece sabe que sou um fiel escudeiro de Robert Kiyosaki e do Lucro Real, muito recentemente de Warren Buffet também. Hehehe
Isso porque o sistema de fluxo de caixa usado por Kiyosaki, muito provavelmente só poderá ser aplicado no Brasil com o Lucro Real. Já sobre o Buffet estar incluso entre meus protegidos, significa que ele é “O Cara”!

Vamos ao desafio que surgiu em uma de minhas empresas, que detalharei com dados fictícios e com o intuito apenas de alertar a quem optar por esse caminho, além de fazê-los pensar. O desafio já foi resolvido, mas fiquem a vontade para enviar soluções que mostrem como fui burro em minha solução.

A empresa Spartan conta com 11 funcionários (R$68.400,00 anuais) e tem um faturamento na faixa de R$480.000,00 anuais e era optante pelo Simples Nacional até 2008. Neste mesmo ano, devido a uma demanda em potencial, a empresa se viu obrigada a gerar créditos de ICMS em Nota Fiscal, coisa que não acontece no Simples Nacional.
Então a Spartan teria que optar por outro tipo de tributação.
A empresa ja opera acima do Ponto de Equilíbrio e caso viesse a gerar esses créditos, seu faturamento aumentaria de 200 a 300%! E seu quadro de funcionários aumentaria na proporção de 9 funcionários a cada 100% de aumento.

Aqui vão três números muito importantes na tomada de decisão:
Lucratividade esperada = 4,92% sobre as vendas
GAO = 6,5
Margem de Contribuição = 0,326

Agora os problemas, lembrando que é fundamental para o crescimento da empresa, que ela opte por outro sistema tributário:

ICMS
A empresa tem como fornecedores, apenas microempresas, todas optantes pelo Simples Nacional, portanto não geram créditos de ICMS. Sendo assim a Spartan pagaria todo o crédito gerado a seus clientes, sem receber nenhum crédito do outro lado da cadeia de suprimentos.
Isso com certeza inviabilizaria o negócio, pois seria o percentual do ICMS sobre o faturamento da empresa livre de qualquer desconto, para pagar.

INSS
O outro grande arqui-rival do Lucro Real se chama INSS. Esse Zé Roela arranca da empresa 27,8% sobre a Folha de Pagamentos.

Prazo
Tive 1 mês para tomar a decisão e dar um jeito. Isso porque a opção pela tributação deve ser feita até 31 de Janeiro. Então, seja lá qual for sua solução, ela teria que ser compreendida nesse intervalo de tempo, ou então teríamos que ver se há alguma brecha na legislação onde mudaríamos a opção tributária.

E aí, o que Buffet faria? O que Dale Carnegie faria?

Já dei a dica, agora quem quiser quebrar a cabeça e achar soluções, fique a vontade!

Um comentário :

  1. Opta-se pelo lucro real e entao voce paga imposto somente sobre o lucro em caixa... Que tal?

    ResponderExcluir

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!