BREAKING NEWS

terça-feira, 3 de maio de 2011

O Guia Do Mochileiro Das Galáxias - São Paulo

Desculpem! Não tenho e nem sei usar o Photoshop!

Pessoal, na semana passada viajei a São Paulo com o intuito de conseguir uma visão mais insider do mercado nessa metrópole onde se concentra, ou se movimenta, boa parte da riqueza do país.
Porém atravesso uma fase bem difícil na empresa e a mesma não poderia bancar a viagem, daí pensei no filme (e livros) O Guia Do Mochileiro das Galáxias. Sendo assim, peguei minha mochila, uma promoção na Azul, reservei uma cama num albergue, tracei minha rota no Google Maps e fui em busca de uma viagem meio no sense, mas enriquecedora!

O Blog Grifo Nosso descreveu bem a trilogia O Guia do Mochileiro das Galáxias:
"...sem noção, sem explicação, sem respostas e com muito bom humor, diversão e uma forma revolucionária de ver o espaço."

Bem, no caso do meu Guia, posso dizer que é algo sem noção, sem explicação, com respostas e com muito bom humor, diversão e uma forma revolucionária de ver o Mercado.

Comecemos pelo motivo da viagem...
Há tempos penso em ter alguma fatia da riqueza que circula em São Paulo, mas nunca defini como e todas as informações que tinha a respeito do mercado da capital eram provenientes de terceiros.
Já fui algumas vezes para lá, mas sempre com outros objetivos. Dessa vez, fui focado em descobrir como ser mais um daqueles caras que desfilam nos importados pela Faria Lima.

Mas por quê tinha que ir logo agora, quando a empresa passa por uma fase dificílima?
Bem, porquê minha mulher também estava na cidade e eu queria fazer uma surpresa. Também porque com todos os problemas na empresa me pressionando, eu precisava pensar um pouco "Fora da Caixa", respirar novos mercados e principalmente, conversar! Sim, conversei com donos de padarias, taxistas, cobradores de ônibus, bancários, perueiros, gerentes de todos os tipos de negócios, motoboys, corretores, estudantes e etc.

A Mochila
Para ser um mochileiro, é necessário ter uma boa mochila. A minha é uma pópria para trekking, com compartimento para calçados, área de ventilação para as costas, capa de chuva, material reforçado, alças no peito e cintura, além de uma infinidade de bolsos. É a mochila do Rambo!

Os Meios de Transporte
Galera é sério, a Azul Linhas Aéreas é hoje a melhor companhia aérea para vôos nacionais e nem chega perto de ser a mas cara. Na verdade, se ficarmos de olho nas promoções, conseguimos passagens mais baratas que uma passagem de ônibus pro mesmo destino. Comprei minhas passagens por 89 reais cada uma, com direito a pontualidade britânica, suco de pêssego, Ruffles, cookies, goiabinha, tv a cabo e um ótimo tratamento. Apaixonei! Adeus TAM!

Já na cidade de São Paulo, meu meio de transporte foi um Nike Vomero, que apesar de ultra-confortável, mostrou-se frágil em tempos chuvosos (óbvio), deixando meus pés encharcados.
Quis andar a pé por lá, para ter a visão insider da qual havia falado. Dessa forma, vi tudo com detalhes, entrei em várias empresas, desde botecos até lojas onde se vendiam Ferraris, conversei com várias pessoas, peguei panfletos, marquei tempos de congestionamentos, experimentei alguns produtos que não conhecia e etc.
Andei 33km em apenas um dia! Esqueci que não tenho mais 16 anos e como consequência sofri com câimbras à noite.

A Hospedagem
Tá, eu gosto de luxo! Mas a experiência de se hospedar (se estiver sozinho) em um albergue te dá o prazer de conhecer mais pessoas, descobrir mais coisas sobre o local e de quebra, te faz sentir como um jovem de 18 anos de novo.
Me hospedei no OKUPE da avenida Rebouças e embora tenha esquecido de levar um cadeado para guardar minhas coisas, me proporcionou uma agradável estadia pelo preço de 30 reais a diária, guardando minha fiel mochila pra mim.


São Paulo é uma cidade na qual eu adoraria morar e ficaria com saudades apenas da minha amada Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte. A cidade proporciona as mais diversas delícias gastronômicas e você não tem que vender seus olhos para desfrutar delas. A cidade tem as melhores baladas do Brasil e as mesmas acontecem de segunda a segunda!
O mercado é sanguinário como em qualquer lugar e parece um verdadeiro mar vermelho, porém com uma visão mais insider, é possível ver brechas capazes de enriquecer uma pessoa, física ou jurídica.

É nessa que eu entro! Portanto, daqui um tempo, não se assuste ao trombar com um mochileiro de 1,90m por diversas vezes em São Paulo.

3 comentários :

  1. Fala ai.. Bom fiz uma viagemzinha tbm..pra uma cidade menor que a minha pra ver oportunidades como pequenas fabricas, comercio e terrenos.. Acabou que eu só olhei pq na hora de trocar ideia com as pessoas eu não tenho constume de sair puxando papo e tbm n tenho muita coragem, não sei se seria bem recebido pra conversar e se eu falaria as coisas corretas! Alguma dica ai pra quem ta correndo atras? De repente chegar elogiando o estabelimento ou já se indentificando como uma pessoa que está correndo atras de oportunidades..Ajuda aii

    ResponderExcluir
  2. Daniel, a dica é simplesmente bater papo com as pessoas, despretensiosamente. Se for muito tímido, leia o livro "Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas", tem um post sobre ele aqui no Blog. Procure em nossa seção de livros.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Comprado..mas pqp já tinha comprado outro livro (roberto justus - construindo uma vida) uns 3 dias antes...paguei 2 taxas de entrega!(isso n é ser inteligente rs)
    Li muito pouco, parece ser bom e quando comento que estou lendo esse livro pelo titulo as pessoas já se interessam e querem que eu empreste depois! Vamos ver se é bom msm..

    ResponderExcluir

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!