BREAKING NEWS

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

A Paciência de Jó... aliás, de João

A Paciência de João nos Negócios

Não adianta, no mundo corporativo nossa paciência será testada diariamente.

Este é um post recuperado em meus rascunhos. Foi escrito em 2010, mas não publiquei. Agora que li o mesmo no final de 2012, me senti muito mais fuderoso que a Mãe Dinah!
(...)

Jó foi um cara, segundo a Bíblia, comeu o pão que o diabo e o próprio Deus (indiretamente) amassaram, depois de uma aposta entre os dois para testarem a paciência e perseverança do pobre humano. O coitado perdeu a família, a casa, a saúde e o dinheiro, mas foi paciente o bastante para aguentar até o fim da aposta entre o Deus todo poderoso e o “coisa ruim”!
No final da história ele persevera devido a bondade de Deus que devolve tudo ao paciente Jó, com juros graciosos...

Dinheirologia
Biribecancatabanda... Quiquerááááá!!!!
Segundo o Wikipedia, a paciência é uma virtude de manter um controle emocional equilibrado, sem perder a calma, ao longo do tempo. Consiste basicamente de tolerância a erros ou fatos indesejados. É a capacidade de suportar incômodos e dificuldades de toda ordem, de qualquer hora ou em qualquer lugar. É a capacidade de persistir em uma atividade difícil, tendo ação tranqüila e acreditando que você irá conseguir o que quer, de ser perseverante, de esperar o momento certo para certas atitudes, de aguardar em paz a compreensão que ainda não se tenha obtido , capacidade de ouvir alguém, com calma, com atenção, sem ter pressa, capacidade de se libertar da ansiedade. A tolerância e a paciência são fontes de apoio seguro nos quais podemos confiar. Ser paciente é ser educado, ser humanizado e saber agir com calma e com tolerância. A paciência também é uma caridade quando praticada nos relacionamentos interpessoais.

Bem, estou com uma séria dificuldade naquela parte de persistir em uma atividade difícil, tendo ação tranquila. Minha paciência já foi pro beleléu (esse lugar existe?!)!
Não sou Jó, sou João e embora tenha um controle emocional fodástico, há momentos em que você realmente deve explodir.

Topei o desafio de segurar a patada do urso (bear market) em um momento onde a vítima já estava caída, esperando pela “patada de misericórdia”. Como já falei por aqui, das duas, uma. Ou saio orgulhoso de ter sido herói pra mim mesmo, ou saio como vilão da história, culpado pela tragédia, mesmo que esta já tenha sido anunciada há mais de 1 ano.
Lidar com tudo que ocorre durante uma tragédia já é difícil, tarefa quase impossível! Trabalha-se durante 30 horas diárias, bola estratégias kamikazes, mantém um bom relacionamento com credores e pensa rápido a cada impacto.
Porém além disso, tem que controlar os ânimos de funcionários e das pobres vítimas de toda a situação,... os sócios.
Dinheirologia
Oh senhor, eu sou vítima do sistema, senhor!
Aguentar desaforo de sócio, numa situação dessas, nem o próprio Jó!
Odeio vítimas!
Já havia até escrito sobre isso aqui no Blog, NESTE POST!

Me deixa puto, ver que alguns sócios e credores suportam a situação de forma serena e ativa, trabalhando para mudar o cenário, enquanto outros se vitimizam e só conseguem enxergar o próprio umbigo, acusar os outros e apontar o que todos já sabem que está errado.

Portanto, se você é desses que se desespera e não consegue controlar seu ego e sua língua nesses momentos, não perca a oportunidade de ficar calado, agora se você está sofrendo com alguém assim, saiba:
Paciência tem limite!

Postar um comentário

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!