BREAKING NEWS

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Como Empreender - Parte 2 - A Missão


Continuando a série de posts "Como Empreender", que conta em tempo real sobre a minha experiência, "entrando" numa empresa tradicional de BH, com o objetivo de multiplicar seu tamanho em 'n' vezes.
Nesse post descreverei o que aconteceu até então.

Fizemos mais algumas reuniões para conhecer o negócio, ao mesmo tempo que seus sócios atuais nos conhecessem. Pedi uma série de informações aos responsáveis, mas já concluí que como se tratam em sua maioria de informações "por alto", não são confiáveis. O jeito é "entrar" e ter a visão interna do que rola.

Em todas as reuniões até agora, os sócios fizeram questão de afirmar que a empresa precisa de um aporte de capital por via de um investidor, para que assim consiga alavancar seu crescimento. Dessa forma sei que eles realmente queriam um sócio-investidor-financeiro e isso eu não sou. Sou um sócio-investidor-intelectual e fiz valer meu título durante as reuniões, escutando, avaliando e solucionando todas as questões feitas pelos sócios.

A taxa de lucratividade do negócio (lucro líquido) é de 30%, o que para mim é mais que atrativo, além disso, a empresa possui um produto pouco explorado, mas com um mercado enorme, que oferece uma margem de 78% sobre a Receita Bruta!
Com estes dois primeiros dados, já concluí que valia a pena investir meu tempo na análise de como fazer o negócio bombar e não mais na análise do "se vale a pena entrar".

A receita total do negócio hoje gira em torno de 70 a 80k's e metade disso vem do varejo. Faltam muitas NF's (se é que me entendem) e não há nenhum sistema de controle. O sócio majoritário é um dos caras mais fantásticos que já conheci, mas fica dividido entre tudo que tem de ser feito no negócio, como processo industrial, venda, entregas, administração e etc.

O bom é que os sócios atuais, embora insistam em clamar pelo investimento financeiro, não desejam este investimento para encherem seus bolsos e sim por que desejam realmente que o negócio cresça.

Outra coisa que me chamou a atenção é a Missão do negócio. Esse lance de missão é foda! Os gurus insistem que tem de ser algo do tipo "Eu erradicarei a fome no planeta se vocês comprarem meus biscoitos", mas pô cara, o que a gente quer mesmo é ganhar dinheiro!
Mas quando perguntei a este empresário qual era o motivo deste seu desejo de fazer a empresa crescer, uma luz incidiu sobre ele e suas palavras me deram um "tapa na cara", mostrando que alguns empreendedores realmente têm uma missão e que a pronunciam om o coração.
O que ele falou fez tudo isso comigo, mas na verdade foi bem simples:


- Os concorrentes atualmente abriram mão da qualidade para aumentarem os lucros. Eu sou um apreciador do produto e o faço com a máxima qualidade para manter nossa tradição. Hoje em dia meu produto é saboreado por poucos afortunados e meu desejo é de que mais pessoas experimentem-o e voltem a saborear um produto de qualidade.



O cara quer defender as origens e tradição mineira, mostrando aos consumidores que o lixo que consomem hoje, não é o CAFÉ que revolucionou a economia brasileira desde 1825.

Bem pra este post está bom, pois quero que fiquem com uma Missão de Verdade na cabeça.
No próximo post falarei de meu principal desafio na sociedade, o Ciclo Financeiro, do faturamento atual, de um cliente potencial já contactado e da possibilidade de conseguirmos um parque industrial.

2 comentários :

  1. Bacana!

    E para melhores resultados nesta nova empreitada... que tal um software??? :-)


    abraço e sucessos, amigo!

    Alex

    ResponderExcluir
  2. Alex!!!! E aí meu brother!?!?
    Claro! Sempre preciso de bons softwares, principalmente os fornecidos pela Alprado Informática.

    Mas e você velho, o que tá rolando!? Tem que me visitar cara!
    Me liga quando tiver um tempo e a gente marca lá em casa.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!