BREAKING NEWS

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Desabafo De Um Jovem Empreendedor

Após escrever meu post "Administração Teórica Nas Pequenas Empresas", que pensei ter ficado meio louco, desconexo e jogado, recebi comentários e relatos por aqui, por MSN, Twitter e email. Daí vi que essa é realmente uma realidade para muitos empresários.

Eis que decidi postar um relato que recebi por email, pois expressa de forma real e transparente, alguns obstáculos pelos quais um pequeno empreendedor deve passar. E o pior é que sou obrigado a afirmar que isso é só o começo. Um empreendedor tem que estar tão preparado como um campeão mundial de MMA (hehehe! comparação tosca), ou mais...
Segue o email:

Caro João, antes de mais nada gostaria de me apresentar. Meu nome é Bob, tenho 20 anos, moro em Mato Grosso do Sul, e trabalho de sócio-gerente em uma empresa familiar composta por mim, minha mãe e mais 14 funcionários no ramo da panificação.

Agora retorno com outro assunto em pauta, pois me identifiquei totalmente com seu post, sempre após fazer um curso no sebrae, ou ler algo interessante em algum livro, eu vinha para a empresa cheio de ídeias para melhorar as operações e adicionar controle, mas eu acabo sempre esbarrando nos problemas interpessoais causados por uma mão de obra limitada, porem penso que a rede wallmart, que com colaboradores cujo cérebro parece ter adormecido e ter deixado apenas as funções mais cruciais para resolução da tarefa a qual lhe cabe. Consegue tocar o supermercado, tudo bem que tem a questão do dinheiro, mas me parece incrível que, eles conseguem!!

Na minha empresa, eu e minha mãe trabalharmos 10 horas por dia (as vezes mais). E mesmo assim, parece que estamos sempre apagando incêndios, quando eu sai do meu antigo emprego, na capital, para voltar ao interior, e trabalhar com ela, eu sonhava em realizar a questão da empresa funcionar mais sozinha e aliviar a barra da minha mãe, que já trabalhou demais. Agora me vejo em um dilema.

Mas para ajudar você a me ajudar, preciso lhe informar alguns dados:
Graças a um recente empréstimo contraido, primeiramente para informatizar equipamentos e caixa, e outro para quitar cheque-especial, no qual minha mãe passou 10 anos pagando, e adicionar algum capital de giro, temos uma situação que o empréstimo foi feito em 48x e pagamos 2 parcelas.

Então, com a margem de lucro que a padaria supostamente da (o administrativo peca bastante e estamos apenas começando a lançar despesas X vendas). Minha mãe vai viver com a empresa saudável financeiramente por 4 anos.

Eu tenho a oportunidade de voltar para a capital, e fazer cursinho para o vestibular da federal, porem para fazer isto, seria preciso parar de trabalhar, no máximo dar uma ajuda aos finais de semana. Porem me sinto mal de deixar minha mãe sozinha aqui, sei que muito serviço deixará de ser feito, já que não damos conta nós 2. Ainda por cima a empresa está comprometida pelos próximos 4 anos.

Tenho muito medo de ficar, e depois com 35 anos de idade falar: - Se eu tivesse feito faculdade quando tinha 20, hoje eu estaria melhor, não estaria trabalhando tanto, e teria tempo para fazer sei lá o que.

Hoje eu não posso sair um final de semana, amanhã não posso fazer uma viagem, depois tirar férias, outra vez conhecer o EUA, quem sabe não terei de dar a mesma criação a meu filho, a que tive, com minha mãe trabalhando 16horas por dia e pai eu não "tenho".

Pretendo cursar Eng. Civil ou Economia que eu gosto bastante. Adm, já cursei 1 semestre aqui na faculdade da cidade e realmente não gostei, nem tanto do curso em si, mas como você mesmo fala, eles preferiram ganhar a vida falando, e muito das coisas que eu escutava sendo pregadas como verdade, pareciam bem diferente no meu dia-a-dia.
...
Att


Ps.: Nomes e lugares foram alterados.
Alguém me ajuda a responder?! Num próximo post, minha resposta! Aguardem...

4 comentários :

  1. Olá...

    Esse lance da Teoria X Realidade é realmente um problema.

    Mas penso que muita gente se prende realmente a essa questão e se sente estagnado porque entende a teorica como um pacote fechado de "ideias" ou métodos. No outro post já falam (e muito bem)... a questão é adaptar-se ... mas João tbem replica bem... adptar na pequena empresa custa muito.

    Bom.. eu sou formado em Contábeis e a base da contabilidade no Brasil era (até pouco tempo) uma lei que tratava de S/As... empresas com um regime juridico e tributário beeem diferente de 90% do mercado brasileiro... entao adaptar foi um conceito que aprendi logo cedo pois sem isso não seria possivel ser um Contador de pequenas e médias empresas.... agora estao convergindo as normas para uma contabilidade internacional padrao... ou seja.. de novo, longe do mercado, mais longe que a primeira.

    Argumentam pela padronização, pela atualização (a lei antiga é de 76), a inovação, o alinhamento com a globalização que já é uma realidade... mimimimi... rs.. enfim, argumentos válidos, mas ainda sim distantes de nossa realidade.

    Enfim... penso que teorias serão sempre teorias, umas mais "usáveis" que as outras, mas a função basica delas é justamente fomentar novas idéias e não resolver o SEU problema, nao a prática em si, genérica, valendo pra todos... se vc nao consegue ver como aplicar essa "X" teria na sua empresa, é mais ou menos como tentar insistir em implantar um custeio ABC na padaria do amigo q escreveu o email... o problema nao está na teoria em si... teorias são uma sequencia lógica, existe um encadeamento das idéias, é quase uma situação ideal que converge para aquela solução. Se vc nao tem o mesmo escopo de situações a teoria não irá lhe servir... é preciso adaptar, usa-se o que te serve e o que não serviu vc pega de outra teoria ou improvisa.

    Como contador de pequenas e médias empresas que fui... acho que a maioria dos empresários peca por não fazer o básio pq acham desnecessário ou são incopetentes demais, e os que tem um pensamento diferenciado pecam tbem por nao querer o básico... pq acham que o avançado é que resolve.

    O amigo lá mesmo comenta trabalhar mais de 10hs e ter a impressão de estar apagando incendios... e está realmente, se ainda nem organizou o contas a pagar, se nem sabe o resultado da empresa... a gestão vai mal, e o problema não é a teoria que o professor preconizou como verdade na sala de aula que ele abandonou.

    Eu sei que nao dá pra sair da linha de produção e ir pro financeiro porque "a engrenagem precisa rodar"... mas até quando rodarão com a engrenagem torta e apagando incendios ? ... isso me lembra bem aquele conceito de "corrida dos ratos" do pai rico/pai pobre, embora a TEORIA desse conceito não seja bem essa.. rsrs.

    Foquem no básico e terão ótimos resultados, deixem o six sigma, a liderança colaborativa, a metacompetencia, o custeio ABC, para quando forem multinacionais ou tiverem ativos intelectuais.. rsr

    Foquem na gestão estratégica de custos, na gestao de procesos, na economia de escala, de escopo... o controle financeiro.

    Hoje discute-se muito inovação, o conceito da "inovação inédita" ... uma EPP com gestao em metacompetências... putz... isso é realmente uma inovação... mas uma EPP com um gerente buscando a excelencia em processos, a gestao total de custo.. isso, no Brasil onde +50% das empresas abertas fecham em menos de 5 ou 6 anos (já me esqueci dos valores corretos dessa estatistica) tbem é inovação, mesmo que nao seja a tão sonhada "inovação inédita" que todo mundo quer criar.

    Existe uma distancia entre a teoria e a realidade, mas existe uma distancia muito maior entre o que o empresário entende como gestão necessária e a real necessidade dele.

    Só um ponto de vista.

    Abs!

    Vallérium

    ResponderExcluir
  2. PQP Tops!!!!!!!

    Isso não é um comentário, isso é u post completo e dos bons!
    Nem pedirei sua permissão antes, vai virar post hoje.
    Belas idéias e uma ótima linha de raciocínio.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo post e comentários.

    Concordo com o TopsMan: toda teoria deve ser adaptada a sua realidade. O problema é que essa adaptação geralmente é bastante complicada e demanda um gestor com excelente preparo técnico, prático e teórico. Não só um gestor...toda a equipe deve estar preparada.

    Infelizmente no Brasil a maioria das escolas de administração formam o indivíduo para ocupar razoavelmente um cargo intermediário em uma corporação. Não formam líderes, com competência e qualificação para avançar em projetos que saiam do lugar comum. Além disso, vejo que a tendência é o empreendedor guardar para si as dificuldades. A sociedade nos leva a isso, né? Somos dois grandes grupos: os vencedores e os fracassados. Quem gosta de levantar suspeitas em seus conhecidos que você pode vir a ser um "fracassado"? Infelizmente isso potencializará a dificuldade e, para ser sincero, é o que mais vejo por aí. Sugiro que micro empreendedores se unam para trocar experiências, idéias, livros de referência, etc...Seja presencialmente ou virtualmente, isso pode aumentar determinantemente as chances de seu negócio dar certo. Não desista, mas utilize seu bom senso para repensar a forma com que toca o negócio. Por fim, busque formação de qualidade em gestão. Abs e boa sorte.

    Eduardo Melo

    Twitter: @eduardomelo

    ResponderExcluir
  4. Boa Eduardo!

    Partilho da mesma opinão. Aqui em BH já temos um grupo de empreendedores que se reunem todos os meses. Tem até post sobre os encontros no Blog.
    Quanto ao comentar os fracassos, isso é o que mais faço por aqui (hehehe), mas é com o intuito de que os leitores aprendam com meus erros.
    Obrigado pelo comentário!

    Abraço!

    ResponderExcluir

Escolha bem suas próximas palavras! hehehe
Brincadeirinha!